Meu Perfil
BRASIL, Sudeste, CAMPOS DOS GOYTACAZES, PARQUE ESPLANADA, Mulher, de 46 a 55 anos, Portuguese, Informática e Internet, Viagens
MSN -



Histórico


Categorias
Todas as mensagens
 Inclusão Digital
 Informação
 Tecnologias Assistivas


Votação
 Dê uma nota para meu blog


Outros sites
 Tecnologias Assistivas-DA
 Mídias Cultura e Sociedade
 Toca da Cathy
 Net Educação
 Educação
 No mundo dos Blogs
 Caldeirão de Idéias
 Qualibest
 A Força do Bem
 Deficiente Solitário
 Bengalalegal
 Inclusão digital


 
 
Tecnologias Assistivas , Inclusão Digital e Social




Categoria: Tecnologias Assistivas
Escrito por Rosângela Moreira ou Pinheiro às 7h10 PM
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



 
 

MANIFESTO – Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência – CUMPRA-SE!

INTRODUÇÃO

No dia 9 de julho, estaremos comemorando o aniversário de 03 (três) anos da ratificação da Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência, fruto de incansável trabalho de pessoas que tiveram a coragem de dizer “não” ao modelo assistencialista e de dizer “sim” aos Direitos Humanos e ao exercício da cidadania plena.

A vida independente, a autonomia, o exercício da cidadania plena e a legitimação e valorização das diferenças se fortaleceram. Com o tratado, passaram a ser os objetivos a serem alcançados.

Por tratar dos Direitos Humanos, os 33 (trinta e três) artigos de conteúdo da Convenção (CDPD) são indivisíveis e os 17 (dezessete) artigos do protocolo facultativo são imprescindíveis para sua eficácia. Compreender a Convenção como instrumento para a eliminação da discriminação, tratado que foi ratificado com quórum que garantiu o status de norma Constitucional, é mais um grande passo para a garantia dos Direitos Humanos.

O preconceito e a discriminação são atos de violência que condenam à invisibilidade, não permitem a convivência, ferem e matam. Estas ações, que também resultam em exclusão educacional (apesar dos avanços), ainda hoje afastam milhares de crianças e adolescentes dos estabelecimentos de ensino comum e da possibilidade de viver e de crescer em sociedade, sendo reconhecidos e legitimados como verdadeiros cidadãos.

A defesa da vida nos coloca frente a essa responsabilidade. E, por reconhecermos que somos todos iguais e também diferentes pela nossa própria existência, não podemos deixar de manifestar a nossa posição a favor de um direito adquirido, mas nem sempre respeitado: o direito à EDUCAÇÃO INCLUSIVA.

Sim, a educação acontece nas escolas comuns. Sim, as pessoas com deficiência têm esse direito, que é dever do Estado, da família e da sociedade. Sim, se defendemos a vida, queremos todos os recursos para as crianças e os adolescentes e queremos que todos e todas assumam a sua responsabilidade e trabalhem pelo bem comum, pela defesa da vida e dos direitos inerentes.

O movimento mundial que incluiu pessoas com deficiência no sistema de ensino comum cresceu e o Brasil avançou com ele. Mas queremos que avance muito mais, garantindo que todas as crianças e adolescentes estejam em classes comuns e com os seus pares, com e sem deficiência, lado a lado. Sabemos que é possível e que deve ser feito. E só pedimos o que está na legislação brasileira.

Somos pela legalidade. Pela vida, pelo direito de aprender, pela construção da cultura de paz e pela educação inclusiva como condição fundamental para a eliminação da discriminação. Para isso, a resposta é a INCLUSÃO.

INCLUSÃO JÁ!
REDE INCLUSIVA – DIREITOS HUMANOS BRASIL

Abaixo-assinado MANIFESTO – Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência – CUMPRA-SE!

Para: V. Exa. Presidenta da República Federativa do Brasil Dilma Rousseff, Ministro da Educação, Ministra dos Direitos Humanos, Senadores, Deputados Federais, Deputados Estaduais e Vereadores brasileiros.

Em defesa do Direito Indisponível à Educação para Todos e Todas e da Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva, que tem por base a Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência da ONU – CDPD:

No ano de 2006, quatro anos depois do início dos debates e das negociações que resultaram na Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência, um sopro de ar fresco e esperança tomou conta do nosso país. Os 33 artigos de conteúdo e os 17 do protocolo facultativo da Convenção foram ratificados com quórum previsto no art. 5°, § 3° da Constituição Federal. A aprovação com o quórum qualificado de três quintos dos votos dos membros da Câmara e Senado Federal, em dois turnos, garantiu ao tratado o status de normal constitucional, e esse fato ocorreu em 09 de julho de 2008, tornando esse dia um marco histórico para a sociedade brasileira.

A ratificação, que foi fruto de incansável e intenso trabalho de pessoas com e sem deficiência de todos os cantos do Brasil, foi mais uma prova da força do movimento de defesa dos direitos das pessoas com deficiência/direitos humanos e de suas lideranças, que disseram não ao modelo de saúde/assistencialismo que antes imperava.

Os princípios e as obrigações gerais da CDPD colocam o artigo 24 em evidência, pois o exercício da cidadania, a equiparação de direitos e a igualdade de oportunidades e de condições, bem como a eliminação da discriminação, dependem do acesso e da permanência na educação, com todos os sistemas inclusivos e recursos disponibilizados, com inclusão, acessibilidade e prevalência do desenho universal.

CONVENÇÃO SOBRE OS DIREITOS DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA: Decreto Legislativo nº. 186, de 9 de julho de 2008 e do Decreto Executivo nº 6.949, de 25 de agosto de 2009.

ARTIGO 24 – EDUCAÇÃO

1. Os Estados Partes reconhecem o direito das pessoas com deficiência à educação. Para efetivar esse direito sem discriminação e com base na igualdade de oportunidades, os Estados Partes assegurarão sistema educacional inclusivo em todos os níveis, bem como o aprendizado ao longo de toda a vida, com os seguintes objetivos:

a) O pleno desenvolvimento do potencial humano e do senso de dignidade e auto-estima, além do fortalecimento do respeito pelos direitos humanos, pelas liberdades fundamentais e pela diversidade humana;

b) O máximo desenvolvimento possível da personalidade e dos talentos e da criatividade das pessoas com deficiência, assim como de suas habilidades físicas e intelectuais;

c) A participação efetiva das pessoas com deficiência em uma sociedade livre.

2. Para a realização desse direito, os Estados Partes assegurarão que:

a) As pessoas com deficiência não sejam excluídas do sistema educacional geral sob alegação de deficiência e que as crianças com deficiência não sejam excluídas do ensino primário gratuito e compulsório ou do ensino secundário, sob alegação de deficiência;

b) As pessoas com deficiência possam ter acesso ao ensino primário inclusivo, de qualidade e gratuito, e ao ensino secundário, em igualdade de condições com as demais pessoas na comunidade em que vivem;

c) Adaptações razoáveis de acordo com as necessidades individuais sejam providenciadas;

d) As pessoas com deficiência recebam o apoio necessário, no âmbito do sistema educacional geral, com vistas a facilitar sua efetiva educação;

e) Medidas de apoio individualizadas e efetivas sejam adotadas em ambientes que maximizem o desenvolvimento acadêmico e social, de acordo com a meta de inclusão plena.

3. Os Estados Partes assegurarão às pessoas com deficiência a possibilidade de adquirir as competências práticas e sociais necessárias de modo a facilitar às pessoas com deficiência sua plena e igual participação no sistema de ensino e na vida em comunidade. Para tanto, os Estados Partes tomarão medidas apropriadas, incluindo:

a) Facilitação do aprendizado do braille, escrita alternativa, modos, meios e formatos de comunicação aumentativa e alternativa, e habilidades de orientação e mobilidade, além de facilitação do apoio e aconselhamento de pares;

b) Facilitação do aprendizado da língua de sinais e promoção da identidade lingüística da comunidade surda;

c) Garantia de que a educação de pessoas, em particular crianças cegas, surdocegas e surdas, seja ministrada nas línguas e nos modos e meios de comunicação mais adequados ao indivíduo e em ambientes que favoreçam ao máximo seu desenvolvimento acadêmico e social.

4. A fim de contribuir para o exercício desse direito, os Estados Partes tomarão medidas apropriadas para empregar professores, inclusive professores com deficiência, habilitados para o ensino da língua de sinais e/ou do braille, e para capacitar profissionais e equipes atuantes em todos os níveis de ensino. Essa capacitação incorporará a conscientização da deficiência e a utilização de modos, meios e formatos apropriados de comunicação aumentativa e alternativa, e técnicas e materiais pedagógicos, como apoios para pessoas com deficiência.

5.Os Estados Partes assegurarão que as pessoas com deficiência possam ter acesso ao ensino superior em geral, treinamento profissional de acordo com sua vocação, educação para adultos e formação continuada, sem discriminação e em igualdade de condições. Para tanto, os Estados Partes assegurarão a provisão de adaptações razoáveis para pessoas com deficiência.

CONVENÇÃO SOBRE OS DIREITOS DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA: CUMPRA-SE!

Os signatários.

Para assinar esse Manifesto, clique aqui.

Divulgue o link em suas redes sociais:
http://www.peticaopublica.com.br/?pi=INCLUSAO

Rosangela Moreira



Categoria: Informação
Escrito por Rosângela Moreira ou Pinheiro às 10h33 PM
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



 
 

Como Designar Pessoas que Têm Deficiência?

A maioria das pessoas, inclusive as com deficiência, muitas vezes utilizam termos conceitualmente inadequados para designar pessoas que possuem alguma deficiência.

Alguns desses termos, que um dia já foram oficiais, como "deficientes", pessoas deficientes", "portadoras de deficiência" ou "portadoras de necessidades especiais", persistem no tempo, na memória coletiva, sendo muitas vezes preservados e reafirmados pelos títulos de entidades civis e governamentais que não têm como se livrar de burocracias oficiais para atualizarem seus nomes. Um exemplo disso é a Associação de Assistência à Criança Defeituosa - AACD, hoje denominada Associação de Assistência à Criança Deficiente. Outro exemplo é o da própria CORDE como "Coordenadoria Nacional para a Integração da Pessoa Portadora de Deficiência" que, após 20 anos com esse nome, recentemente passou de coordenadoria para o status de subsecretaria como Subsecretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Pessoa com Deficiência, dessa vez, porém, sendo um bom exemplo de atualização.

Para a jornalista Maria Isabel da Silva, em seu artigo "Por que a terminologia 'pessoas com deficiência'?", os termos utilizados possuem importância porque "Na maioria das vezes, desconhece-se que o uso de determinada terminologia pode reforçar a segregação e a exclusão.(...) e (...) "Além disso, quando se rotula alguém como "portador de deficiência", nota-se que a deficiência passa a ser "a marca" principal da pessoa, em detrimento de sua condição humana".

Segundo Romeu Kasumi Sassaki, "a tendência é no sentido de parar de dizer ou escrever a palavra "portadora" (como substantivo e como adjetivo). A condição de ter uma deficiência faz parte da pessoa e esta pessoa não porta sua deficiência. Ela tem uma deficiência. Tanto o verbo "portar" como o substantivo ou o adjetivo "portadora" não se aplicam a uma condição inata ou adquirida que faz parte da pessoa. Por exemplo, não dizemos e nem escrevemos que uma certa pessoa é portadora de olhos verdes ou pele morena.". (livro Vida Independente: história, movimento, liderança, conceito, filosofia e fundamentos. São Paulo: RNR, 2003, p. 12-16).

No histórico que Maria Isabel da Silva menciona em seu artigo, percebe-se que a terminologia foi se amoldando à sua época: "Até a década de 1980, a sociedade utilizava termos como "excepcional", "aleijado", "defeituoso", "incapacitado", "inválido"... Passou-se a utilizar o termo "deficientes", por influência do Ano Internacional e da Década das Pessoas Deficientes, estabelecido pela ONU, apenas a partir de 1981. Em meados dos anos 80, entraram em uso as expressões "pessoa portadora de deficiência" e "portadores de deficiência". Por volta da metade da década de 1990, a terminologia utilizada passou a ser "pessoas com deficiência", que permanece até hoje."

Alguns argumentos são repetidos entre pessoas com deficiência a respeito das inúmeras designações atribuídas a elas, como a de que "deficiente" não se remete à deficiência que se tem, mas à qualidade de não ser eficiente.; que "pessoa deficiente" acentua uma qualidade de ineficiência na pessoa; que, caso se portasse uma deficiência, poderia-se deixá-la em casa e partir sem ela e que, assim, não se porta ou não uma deficiência, tem-se uma deficiência; que "portadores de necessidades especiais", após tanta luta pela igualdade na diferença, que ser "especial" exclui a pessoa do todo, da igualdade, remetendo-se somente à diferença. Por outro lado, "pessoa com deficiência" reproduz uma verdade, que é a de se ter uma deficiência, aliada ao fato de que essa deficiência é de uma pessoa. Dessa forma, pessoas com deficiência, alunos com deficiência, trabalhadores com deficiência é o que vem sendo utilizado por pessoas que se interessam pelo assunto e pelo conceito.

A Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência, aprovada pela Assembléia da ONU em 2006, assinada pelo Brasil e outros cerca de 80 países em 2007 e ratificada em 2008 pelo Congresso Nacional, foi criada por governos, instituições civis e pessoas com deficiência de todo o mundo e acabou por oficializar o termo "pessoas com deficiência" em seu próprio título, além de o reafirmar em todos os seus artigos, especialmente no artigo de número 1:

O propósito da presente Convenção é o de promover, proteger e assegurar o desfrute pleno e equitativo de todos os direitos humanos e liberdades fundamentais por parte de todas as pessoas com deficiência e promover o respeito pela sua inerente dignidade.

Pessoas com deficiência são aquelas que têm impedimentos de natureza física, intelectual ou sensorial, os quais, em interação com diversas barreiras, podem obstruir sua participação plena e efetiva na sociedade com as demais pessoas.

Esse texto procura incentivar o uso da terminologia correta, oficial e proposta pelas próprias pessoas com deficiência que colaboraram na construção desse fantástico tratado de Direitos Humanos que é a Convenção sobre os Direitos da Pessoa com Deficiência e que, aos poucos, vai se espalhando pelo mundo.

Em geral, a pessoa com deficiência, que é caracterizada por sua fragilidade e não por suas qualidades, vai conseguindo se mostrar a todos, antes por ser pessoa do que por possuir uma deficiência. Entretanto este é um processo de lenta assimilação, onde a linguagem possui o seu papel de reveladora de conceitos, mitos, evolução e transformação. Dessa forma, o termo "pessoas com deficiência" está, nesse momento, revelando-se como um ponto da história em que pessoas que têm deficiências se integram à sociedade e esta as inclui.

Assim, Maria Isabel da Silva, em seu artigo em que este texto foi baseado, expressa o papel da linguagem no revelar do olhar da sociedade sobre as pessoas com deficiência: " A construção de uma verdadeira sociedade inclusiva passa também pelo cuidado com a linguagem. Na linguagem se expressa, voluntária ou involuntariamente, o respeito ou a discriminação em relação às pessoas com deficiência. Por isso, vamos sempre nos lembrar que a pessoa com deficiência antes de ter deficiência é, acima de tudo e simplesmente: pessoa."

Marco Antonio de Queiroz - MAQ
Rosangela Moreira



Categoria: Informação
Escrito por Rosângela Moreira ou Pinheiro às 10h25 PM
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



 
 

No exterior

Um grupo de 11 atores com deficiência auditiva e visual ilumina o palco do Nalaga'at Center, em Tel Aviv (Israel). Trata-se do único grupo profissional desse gênero no mundo. Eles aprendem a encenar a peça por meio de mímica, linguagem de sinais e, sobretudo, toques. "Se alguém não consegue ver e ouvir, precisa tocar as pessoas e ser tocado por elas. Uma vez que o deficiente esteja aberto para isso, sua vida muda completamente", diz Adina Tal, diretora da trupe. Em hebraico, Na lagaat significa "por favor, toque".

Fundada em 2002, a companhia tem sido frequentemente convidada para apresentações nos Estados Unidos, Canadá e Europa. Em 2007, o grupo Nalaga'at abriu seu próprio centro, com um Café que possui garçons surdos e um restaurante com servidores cegos. O espaço já foi visitado por cerca de 200 mil pessoas.

Mais informações no vídeo que pode ser acessado através do link:

http://www.israel21c.org/culture/israels-unique-deaf-blind-theater-troupe-video

Fonte: Ex-Libris Comunicação Integrada

Rosangela Moreira



Categoria: Informação
Escrito por Rosângela Moreira ou Pinheiro às 10h08 PM
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



 
 

Livro Infantil

Foi lançado, em fevereiro de 2011, o livro infantil com audiodescrição. “Simplesmente Diferente”, de Mônica Picavêa. A obra vem acompanhada de um CD com a narrativa dos textos e descrições detalhadas de personagens e ilustrações.

“Simplesmente diferente” é uma coletânea de sete historinhas rimadas, que mostram formas interessantes de ver o mundo de algumas pessoas com deficiência e ensinam a enxergar a diversidade com mais naturalidade.

http://blogsentidos.blogspot.com/

Rosângela Pinheiro



Categoria: Informação
Escrito por Rosângela Moreira ou Pinheiro às 6h46 PM
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



 
 

Carteira Assinada

 

Aumenta número de carteira assinada de trabalhadores com deficiência

Um levantamento feito pelo Ministério do Trabalho (MTE) aponta que no primeiro trimestre de 2011 foram inseridas 7.508 pessoas com deficiência no mercado de trabalho. Um aumento de 40,7% em relação ao mesmo período de 2010. De acordo com dados do Ministério, desde 2005, 143 mil trabalhadores conseguiram empregos formais.
Segundo a Secretaria de Inspeção do Trabalho (SIT) a cada ano cresce o número de pessoas com deficiência em postos de trabalhos. Em 2005 eram 12.786, já 2010, esse número saltou para 28.752.

O Ministério acredita que esse aumento se deve a fiscalização do órgão que é feita em mais de 26 mil cidades. Essa ação se deve a Lei 8.213/91, a Lei de Cotas, que determina que as empresas que têm mais de 100 empregados devem cumprir uma cota, proporcional ao seu tamanho, com cargos para trabalhadores reabilitados ou pessoas com deficiência.
O ministro do trabalho, Carlos Lupi, disse que o empresariado precisa se conscientizar da necessidade de cumprir a lei, para que tenhamos uma sociedade mais justa e com oportunidades iguais para todos.

http://blogsentidos.blogspot.com/

Rosangela Pinheiro

 



Categoria: Informação
Escrito por Rosângela Moreira ou Pinheiro às 6h19 PM
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



 
 

Serviço

Caravana da Inclusão
 
Projeto da Avape cadastra pessoas com deficiência da Zona Leste de São Paulo para cursos de capacitação profissional

Até o dia 24 de fevereiro, a Avape - Associação para Valorização de Pessoas com Deficiência realiza na Zona Leste de São Paulo a campanha "Caravana da Inclusão", com o objetivo de cadastrar pessoas com qualquer tipo de deficiência a partir de 16 anos interessadas em participar de cursos profissionalizantes. Organizado em parceria com a entidade sindical do ramo alimentício Stila Café, o programa de capacitação acontecerá na unidade Avape do bairro do Belenzinho, inaugurada na semana passada.
"Trata-se do primeiro pólo de aprendizagem e capacitação para pessoas com deficiência na região, em parceria com um sindicato", afirma Sonia Alakaki, Gerente de Processos de Aprendizagem Avape. Do total de alunos, 500 já terão vagas garantidas em empresas associadas ao sindicato, entre elas Yakult e Souza Cruz.

Cerca de 14,5% da população brasileira têm algum tipo de deficiência. "Para esses 28 milhões de cidadãos, uma das principais dificuldades é o acesso ao emprego. Nosso trabalho tem como meta mudar essa realidade", ressalta Sonia.
A Avape tem 28 anos de experiência nos programas de Reabilitação, Capacitação e Inclusão Profissional e somente no ano passado foi responsável pela capacitação de mais de 6 mil pessoas para o mercado de trabalho e pela reabilitação de mais de 9 mil pessoas com deficiência.

Inscrições
Para as vagas no Belenzinho, as inscrições irão até 24 de fevereiro. Mas mesmo quem não for selecionado agora, poderá depois participar de outros cursos. À medida que novas vagas são abertas nos cursos, quem está na lista será chamado", explica Sonia. A Avape tem unidades em São Paulo, no Rio de Janeiro, além de 12 unidades licenciadas pelo Brasil. "É um cadastro permanente e válido para todo o Brasil", finaliza Sônia.

Os interessados podem se cadastrar por meio do formulário da Caravana da Inclusão no site da Avape (www.avape.org.br), por email (aprendiz@avape.org.br), pelo telefone (11) 4362-9366, pelo fax (11) 4362-9317 ou ainda por carta para o endereço Av. Higienópolis, 415, Vila Gilda, Santo André, SP - CEP 09190-360, A/C.: Karen de Almeida.

No ato da inscrição é necessário dizer o tipo de deficiência que possui, o número do RG e ainda os seguintes dados:
- informações pessoais (nome completo, data de nascimento, peso, altura, nome da mãe completo)
- endereço completo (logradouro, número, bairro, cidade e CEP)
- formas de contato (telefone residencial, celular e email)
- se toma medicamentos, indicar quais são
- quais recursos necessita para frequentar as aulas
- se estuda atualmente, indicar série, turno e nome da escola
- se recebe algum benefício governamental, indicar qual
- informar as linhas de ônibus que passam perto de casa
- informar como soube da campanha (panfleto, carro de som, caravana, jornal, site Avape ou outros)


http://sentidos.com.br/canais/materia.asp?codpag=13576&canal=ligado

Rosangela Moreira



Categoria: Informação
Escrito por Rosângela Moreira ou Pinheiro às 9h21 PM
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



 
 

Congresso Tecnologias Assistivas E Inclusão Social

 

Vale conferir e participar!

O 3º Congresso Muito Especial de Tecnologia Assistiva e Inclusão Social das Pessoas com Deficiência do Rio de Janeiro é uma realização do Instituto Muito Especial com o apoio do Ministério da Ciência e Tecnologia. O evento visa reforçar a importância do tema e apresentar as inovações na área de Tecnologia Assistiva, além de debater sobre as novas possibilidades que facilitam e contribuem para a inclusão social da pessoa com deficiência.Congresso será realizado no Rio de Janeiro entre os dias 23 e 26 de agosto de 2010.

 http://www.congressoassistivario2010.org.br

Rosangela Pinheiro



Categoria: Informação
Escrito por Rosângela Moreira ou Pinheiro às 11h35 PM
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



 
 

Capacitação

Por valorizar a diversidade em suas equipes, o Banco Santander realiza o "Programa de Capacitação de Pessoas com Deficiência Santander", que tem objetivo de oferecer às pessoas com deficiência uma oportunidade de formação bancária. A AME - Associação Amigos Metroviários dos Excepcionais (www.ame-sp.org.br) iniciou o cadastramento dos interessados às vagas, que somam 400 no total.

Os selecionados participarão de um curso de treinamento com duração de três meses, em turmas no período da manhã e tarde e quatro horas diárias. O local de treinamento será no Centro de São Paulo (próximo ao metrô e acessível). Durante esse período de treinamento já recebem bolsa auxílio e todos os benefícios bancários, entre vales transporte, refeição e alimentação, auxílios médico e odontológico, seguro de vida, auxílio creche, reembolso de academia, PAPE (Programa de Apoio Pessoal Especializado), PPR (Programa de Participação nos Resultados) entre outros.

Após a capacitação os participantes serão direcionados para as áreas do Santander, como call center, rede comercial e administrativas, com ajuste salarial de acordo com os cargos e carga horária.

Os interessados devem possuir o ensino médio completo e se cadastrar pelos telefones 2942-7354 ramal: 259 e 246 - falar com Julia ou Francine ou email: trabalho1@ame-sp.org.br

Fonte: AME
Rosangela Moreira



Categoria: Informação
Escrito por Rosângela Moreira ou Pinheiro às 3h18 AM
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



 
 

Cultura

Projeto do Instituto Votorantim investe em acessibilidade

No dia 3 de agosto, o Instituto Votorantim iniciou seu 4º processo de seleção pública de projetos, voltados a todas as áreas culturais - artes visuais, artes cênicas, cinema, vídeo, literatura, música e patrimônio. O edital, que acontece desde 2007, seleciona iniciativas que promovam a ampliação e a qualificação do acesso de jovens, entre 15 e 29 anos, a bens culturais.

Nessa edição, serão investidos R$ 3 milhões, e a novidade ficará por conta da categoria Acessibilidade, que contemplará projetos de inclusão e formação cultural para jovens com deficiência ou mobilidade reduzida. Do investimento total, até R$1 milhão será destinado à essa categoria. Segundo o Gerente de Planejamento e Desenvolvimento do Instituto Votorantim, Rafael Gioielli, "é preciso investir em projetos que diminuam as barreiras simbólicas, econômicas e físicas que dificultam o acesso às artes, e que no caso de jovens com deficiência, são ainda mais complexas".

As inscrições começam em agosto, pelo blog Acesso. O regulamento do edital já está disponível neste endereço:

Fonte: Blog Acesso

http://www.blogacesso.com.br/wp-content/uploads/2010/07/4%C2%BA-Edital-cultural-Votorantim

Rosangela Moreira



Categoria: Informação
Escrito por Rosângela Moreira ou Pinheiro às 3h10 AM
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



Mensagem

 

Rosangela Moreira



Escrito por Rosângela Moreira ou Pinheiro às 11h30 PM
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



Paraolimpíadas Escolares crescem

Principal competição paraolímpica estudantil contará com 22 estados

As Paraolimpíadas Escolares de 2010 já começaram. A competição, que será realizada de 6 a 11 de setembro, em São Paulo-SP, teve suas inscrições encerradas, e agora é hora dos 22 estados selecionarem seus atletas.

São esperados 1200 participantes para a maior competição escolar paraolímpica do Brasil, 350 a mais do que na edição de 2009. Cada estado pode ter uma delegação de no máximo 213 pessoas. Para definir os atletas que defenderão sua bandeira, algumas das unidades federativas, como Santa Catarina, Minas Gerais, Amazonas, Maranhão, Rio de Janeiro, São Paulo e Sergipe devem organizar seletivas estaduais.

Retomada ano passado, as Paraolimpíadas Escolares contaram com 850 participantes, de 20 estados. Os Jogos, que foram em Brasília, revelaram novos talentos em oito modalidades: atletismo, natação, futebol de 5 para cegos, futebol de 7 para paralisados cerebrais, judô, goalball, bocha e tênis de mesa.

A edição de 2010 contará com mais duas modalidades: vôlei e tênis em cadeira de rodas. Além disso, os estados de Goiás e Rio Grande do Sul estreiam na competição.

As competições serão no Clube Espéria (natação, futebol de 5, tênis em cadeira de rodas, vôlei, judô, futebol de 7 e goalball), no Centro Olímpico (atletismo), no Clube Tietê (tênis de mesa) e no Hotel Holiday Inn (bocha).

Os estados têm até 05 de julho de 2010 para enviar ao Comitê Paraolímpico Brasileiro a quantidade prévia de participantes.

Fonte: CPB

Rosangela Moreira



Escrito por Rosângela Moreira ou Pinheiro às 7h36 PM
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



 
 

Sistema Braille

A nova Lei que instituí Dia Nacional foi proposta pelo Senador Flávio Arns

A memória de Louis Braille passará a ser reverenciada todos os anos a partir de 2011. A autoria do projeto (PLS 263/2008) é do Senador Flávio Arns, que considera fundamental a divulgação do importante sistema que propiciou educação, habilitação, reabilitação e profissionalização da pessoa cega.

"Em pronunciamento, em dezembro passado, tive a oportunidade de contar a interessante história de Louis Braille, que ficou cego aos 3 anos ao imitar o pai no seu ofício de seleiro. Era a França do início do séc. XIX e a medicina não dispunha de conhecimento suficiente para tratar do caso. Da necessidade desse menino nasceria a oportunidade de dar mais qualidade de vida a todas as pessoas cegas. Por isso, reverenciar Braille é fundamental!", explicou o senador.

A data escolhida para celebrar o Dia Nacional do Sistema Braille é 08 de abril e está fixada pela Lei no. 12.266, de 21 de junho passado. Trata-se do dia de nascimento de José Álvares de Azevedo, no Rio de Janeiro, em 1834 (ou 1835, segundo algumas biografias). Cego desde o nascimento, por seis anos estudou o método em Paris. De volta ao Brasil, passou a ensiná-lo e a difundi-lo, tornando-se o primeiro professor cego brasileiro e recebendo o título honorífico de "Patrono da Educação dos Cegos no Brasil".

Flávio Arns confia que a data comemorativa promoverá ações que fortaleçam o debate sobre os direitos da pessoa cega e a sua plena integração social. "Espero que as ações também promovam a inserção da pessoa cega no mercado de trabalho, difundam orientações para a prevenção da cegueira e incentivem a produção de mais textos em Braille", ressaltou.

Fonte: Assessoria de Imprensa - Senador Flávio Arns (PSDB - PR)
Rosangela Pinheiro



Categoria: Informação
Escrito por Rosângela Moreira ou Pinheiro às 3h04 PM
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]





Categoria: Tecnologias Assistivas
Escrito por Rosângela Moreira ou Pinheiro às 9h55 PM
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



 
 

Video

Conheçam como são os sinais, em Libras para alguns animais.

http://www.youtube.com/watch?v=MdA0ACkJjAY

Rosangela Moreira



Categoria: Informação
Escrito por Rosângela Moreira ou Pinheiro às 9h48 PM
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



 
 

Caderno de Libras

Este video ensina alguns termos bacanas em Libras.

Rosangela Moreira

 



Categoria: Informação
Escrito por Rosângela Moreira ou Pinheiro às 1h41 AM
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



 
 

II Maratoninha

Crianças com deficiência participaram da II Maratoninha realizada pela prefeitura de São Paulo

  

Maratoninha realizada pela prefeitura de SP incluiu crianças com deficiência

No início de maio crianças com deficiência que integram a Escola de Esportes Adaptados da Associação Desportiva para Deficientes (ADD), entidade que apóia a inclusão de pessoas com deficiência tanto no esporte quanto no trabalho, participaram da II Maratoninha. A corrida para crianças entre 6 e 15 anos, promovida pela Cidade de São Paulo, foi realizada no Ibirapuera e contou este ano com 47 competidores cadeirantes, que participarão de prova exclusiva.

As crianças foram divididas por idade e tipo de deficiência participando de provas a partir de 30 metros. "Os alunos estavam motivados e muito ansiosos, mas felizes e querendo desempenhar o máximo para vencer suas baterias", conta o coordenador de esportes da ADD, Sileno Santos. "É a primeira vez que uma competição infantil reúne um número tão elevado de crianças com deficiência, isso evidencia que as ações pela inclusão começam já a motivar crianças e adultos que antes não tinham opções para práticas esportivas."

Segundo Santos, um dos objetivos da iniciativa é mostrar aos jovens o atletismo adaptado, atraindo assim mais interessados para a prática. "Conhecer o esporte adaptado permite despertar o gosto pela prática esportiva, o que facilita processos de inclusão e de sociabilização dessas pessoas, o que se revela um ato de cidadania. Independente de qualquer resultado, ver o sorriso de uma criança ao completar a prova nos motiva a continuar esse trabalho."


Os pequenos corredores receberam
medalhas pela participação

Cada criança participante recebeu uma medalha e seu sorriso de satisfação serviu para demonstrar que participar deste tipo de evento é fator fundamental para despertar o gosto pela prática esportiva de crianças com deficiência. A ADD montou uma estrutura para o atendimento dos alunos que envolveu o transporte de cadeiras, distribuição dos kits, lanches e também organizou o transporte da maioria dos alunos possibilitando que eles estivessem presentes.

A Escola de Esporte Adaptado da ADD é a primeira escola do gênero no Brasil e visa o desenvolvimento integral de crianças e adolescentes por meio de atividades para-desportivas, além de artes, dança, teatro, música, inclusão digital e também atividades pedagógicas. O Projeto ADD Cesta de 3 da escola já está aprovado e está captando recursos pela Lei de Incentivo ao Esporte.


Criada em 1996 pelo professor de educação física Steven Dubner juntamente com a administradora de empresas Eliane Miada, a ADD é uma instituição sem fins lucrativos que promove o desenvolvimento de pessoas com deficiência por meio de práticas esportivas adaptadas, ensino e cursos de capacitação para o trabalho, facilitando o processo de resgate da auto-estima, integração e inclusão social. Em 14 anos de atividades, a ADD tem um total de 11 mil pessoas com deficiência atendidos diretamente e outros milhares indiretamente
.

http://sentidos.uol.com.br/canais/materia.asp?codpag=13457&canal=esporte

Rosangela Moreira

 



Categoria: Informação
Escrito por Rosângela Moreira ou Pinheiro às 2h56 AM
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



 
 

Inauguração

Foi inaugurada, no Rio de Janeiro, a loja Rea Team direcionada para pessoas com deficiência física.
A loja oferece, num mesmo local, a venda de cadeiras de rodas e produtos adaptados sob medida, além de serviços de isenção de impostos na compra de carros especiais. O diretor da Rea Team - RJ Marcos Wander entende que a abertura do estabelecimento é uma oportunidade de dar às pessoas com deficiência acesso às novidades do mercado. Segundo Wander, uma das grandes dificuldades dos cliente com deficiência é a locomoção. Por isso facilita se ele tiver vários serviços e produtos no mesmo lugar.

Serviço
Rea Team
Rua Haddock Lobo, 203 A – Tijuca

http://blogsentidos.blogspot.com

Rosangela Moreira



Categoria: Informação
Escrito por Rosângela Moreira ou Pinheiro às 10h08 PM
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



 
 

Vídeo/Documentário

O melhor documentário já feito sobre educação especial III.

Educadores russos ensinam crianças com deficiência auditiva e visual na cidade de Zagorsk, inspirados e baseados nas teorias do psicólogo bielo-russo Lev Vygotsky (1896-1934).

http://www.youtube.com/watch?v=NfkBsj2w0uA&feature=related

Rosangela Moreira



Categoria: Informação
Escrito por Rosângela Moreira ou Pinheiro às 9h34 PM
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



 
 

Lançamento do livro

Carolina Ignarra, Tabata Contri e Raphael Bathe lançam o livro: INCLUSÃO - conceitos, histórias e talentos das pessoas com deficiência

Dia 05/04/2010 foi lançado em São Paulo, na livraria Cultura do Shopping Villa Lobos o livro: INCLUSÃO - conceitos, histórias e talentos das pessoas com deficiência. A publicação produzida por Tabata Contri, Carolina Ignarra e pelo fotógrafo Rapha Bathe foi idealizado a partir de uma Mostra Fotográfica de pessoas com vários tipos de deficiências trabalhando em diferentes áreas e empresas.

Dividido em três partes, a obra apresenta conceitos importantes de inclusão de pessoas com deficiência na sociedade, por meio de relatos da autora Carolina Ignarra baseados em sua experiência como consultora de inclusão em empresas no Brasil. Ela revela para o leitor o que deu certo, o que não deu e muitas informações e dicas importantes que pra quem vive parecem simples, mas pra quem está começando a trabalhar com inclusão são valiosas.

Na segunda parte, a publicação traz fotos inéditas produzidas pelas lentes do fotógrafo Rapha Bathe, nas quais ele mostra pessoas com deficiência atuando em empresa e a importância do trabalho na vida de cada uma delas. Por fim, o livro conta, através das palavras da atriz e consultora de inclusão social de pessoas com deficiência no mercado de trabalho Tabata Contri, emocionantes e inspiradoras histórias de vidas dos profissionais que foram fotografados

http://sentidos.uol.com.br/canais/materia.asp?codpag=13435&canal=ligado

Rosangela Moreira



Categoria: Inclusão Digital
Escrito por Rosângela Moreira ou Pinheiro às 9h14 PM
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



 
 

Vídeo/Documentário

O melhor documentário já feito sobre educação especial.Parte II

Educadores russos ensinam crianças com deficiência auditiva e visual na cidade de Zagorsk, inspirados e baseados nas teorias do psicólogo bielo-russo Lev Vygotsky (1896-1934).

http://www.youtube.com/watch?v=cTvvzBwhwvs

Rosangela Moreira Pinheiro



Categoria: Tecnologias Assistivas
Escrito por Rosângela Moreira ou Pinheiro às 7h38 PM
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



 
 

Vídeo

Este vídeo/documentário é maravilhoso...Vale a pena assistir...

http://www.youtube.com/watch?v=bA_GMtqUGeQ

Rosângela Pinheiro



Categoria: Tecnologias Assistivas
Escrito por Rosângela Moreira ou Pinheiro às 6h58 PM
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



 
 

Mensagem

"Se você deixa de ver a pessoa, vendo apenas a deficiência,
quem é o cego?

Se você deixa de ouvir o grito do seu irmão para a justiça,
quem é o surdo?

Se você não pode comunicar-se com sua irmã e a separa,
quem é o mudo?

Se sua mente não permite que seu coração alcance seu vizinho,
quem é o deficiente mental?

Se você não se levanta para defender os direitos de todos,
quem é o aleijado?"
(Autor desconhecido)
Rosangela Pinheiro



Categoria: Tecnologias Assistivas
Escrito por Rosângela Moreira ou Pinheiro às 6h47 PM
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



Programação

CONFIRA O PROGRAMA SENTIDOS DESTA SEMANA!
ASSISTA PELA INTERNET OU PELA TV
Bloco 1
. Ópera com audiodescrição é apresentada pela primeira vez em São Paulo;
. No quadro Fala Sério, conheça algumas tecnologias que promovem a independência dos surdos.

. Clique aqui para assistir o vídeo do bloco 1
Bloco 2
. Pneus de bicicletas são reciclados e ajudam o meio ambiente;
. O quadro Minuto AVAPE mostra uma oficina de comunicação no Centro de Convivência AVAPE, em Taubaté.

. Clique aqui para assistir o vídeo do bloco 2
Bloco 3
. Paixão nacional. Museu do Futebol, em São Paulo, tem recursos acessíveis para receber pessoas com diferentes tipos de deficiência;
. No quadro Aprenda LIBRAS, o intérprete, Vinicius Nascimento, ensina as diferenças dos conceitos de surdo e mudo.

. Clique aqui para assistir o vídeo do bloco 3
O programa Sentidos mostra ações sociais realizadas por pessoas que trabalham a favor de um país mais justo, inclusivo e que não esperam somente por iniciativas do poder público, mas se juntam para buscar qualidade de vida e diminuir as diferenças. Produzido pelo núcleo de tv da AVAPE - Associação para Valorização e Promoção de Excepcionais em parceria com o Canal Net Cidade, da operadora de TV a cabo NET, o programa Sentidos também destaca as atividades das pessoas com deficiência nas áreas de lazer, educação, cultura, saúde, esporte e trabalho.


Escrito por Rosângela Moreira ou Pinheiro às 1h31 AM
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



 
 

Acontece

Desafios da Inclusão

Inscrições abertas para seminário sobre gestão de pessoas com deficiência

Estão abertas as inscrições para o Seminário: Gestão de Pessoas com Deficiência - Desafios da Inclusão que ocorrerá na cidade de São Paulo no dia 3 de fevereiro. O evento irá tratar sobre as melhores práticas e estratégias de inclusão e gestão de pessoas com deficiência que vêm sendo desenvolvidas em algumas empresas. Esse assunto ganhou destaque no meio empresarial a partir da Lei de Cotas que determina a contratação de 2 a 5% de pessoas deficientes para empresas com mais de cem funcionários.

Se você está interessado, os pedidos de inscrições, informações e reservas devem ser feitos com Luciana Souza pelos seguintes meios:
-Fone/fax: (11) 4121-9990
-Cel: (11) 9936-0044
-SKYPE: lucianasouza61
-email: lucianasouza.treinamento@uol.com.br (solicite a ficha de inscrição)

Para inscrições efetivadas e pagas entre os dias 12/01 e 27/01/2010 haverá desconto, sendo pago o valor de R$ 1.890,00. Os pagamentos podem ser realizados por boleto, depósito bancário ou cartão de crédito. As inscrições devem ser pagas antes da data de realização do evento. A inscrição inclui almoço, coffee break, material, certificado e estacionamento.
Data e local
O seminário acontecerá no dia 3 de fevereiro de 2010 no Hampton Park Residence Hotel - Al. Campinas, 1213 - Jardins - São Paulo - SP.

http://www.cavenaghi.com.br/acontece/detalhes.asp?id=39

Rosangela Pinheiro



Categoria: Informação
Escrito por Rosângela Moreira ou Pinheiro às 8h34 PM
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



 
 

Fique de Olho!

 

Bem humorado  Obrigação
Lei obriga shoppings a oferecer carrinho motorizado a deficientes no interior de SP

Idosos, gestantes e pessoas com deficiência poderão exigir carrinhos motorizados para se deslocar no interior de shoppings, hipermercados e outros grandes estabelecimentos em Sorocaba, cidade a 99 km de São Paulo.

A obrigação de ter esses veículos disponíveis para oferecer gratuitamente a clientes com dificuldade de locomoção decorre de uma lei municipal em vigor desde esta segunda-feira (21) no município. Os estabelecimentos têm 60 dias para se adequar. Caso contrário, ficarão sujeitos a uma multa de R$ 500, aplicada em dobro no caso de reincidência.

A cidade tem pelo menos 20 estabelecimentos que se enquadram na lei, entre eles dois shopping centers e 12 hipermercados. O local para a retirada dos carrinhos tem de ser de fácil acesso e ter placas indicativas. Para o Sindicato do Comércio Varejista, apenas estabelecimentos de grande porte têm condições de oferecer segurança para a circulação dos carrinhos.

Autor da proposta, o vereador José Crespo (DEM) diz que a Constituição de 1988 garante a todos o direito de acesso a bens e serviços, com dignidade e bem-estar. Ele diz que a lei é necessária porque os direitos dessas pessoas não são respeitados
.

http://www.cavenaghi.com.br


Rosângela Pinheiro

 



Categoria: Informação
Escrito por Rosângela Moreira ou Pinheiro às 8h13 PM
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



 
 

Fique Ligado

Projeto piloto

Inaugurado Projeto Piloto que coloca a tecnologia a serviço da comunidade surda

Desde o dia 1º de dezembro a comunidade surda conta com uma maior facilidade em obter informações sobre os serviços oferecidos pela Prefeitura de São Paulo. Nessa data, a Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida colocou em operação o projeto piloto da CELIG - Central de Libras, Intérpretes e Guias-Intérpretes.

A Central vai utilizar terminais de computador e webcam instalados em diferentes pontos do serviço público municipal para que o cidadão surdo possa conversar à distância, pelo monitor, com intérpretes da Língua Brasileira de Sinais (Libras).

Os intérpretes podem transmitir todas as informações hoje só disponíveis ao público ouvinte pelo telefone 156. Tal intermediação também vai facilitar o contato com o atendente presente no local.

No projeto piloto - com duração 6 meses - haverá terminais nas Praças de Atendimento das subprefeituras da Sé, Mooca e Lapa. Ainda não será possível acessar o serviço a partir das residências.

Expansão
Em meados de 2010, a CELIG chegará a todas as 31 subprefeituras e, gradualmente, a outras unidades do serviço público municipal, com prioridade para hospitais e outras unidades da rede de saúde.

No futuro, também será possível agendar um guia-intérprete para acompanhar surdo-cegos no atendimento em órgãos públicos municipais.

Assista ao vídeo da Central de Libras - CELIG no Youtube

Fonte: http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/pessoa_com_deficiencia/noticias/?p=13046

Rosangela Pinheiro

 

 

 




Categoria: Informação
Escrito por Rosângela Moreira ou Pinheiro às 8h19 PM
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



 
 

iniciando o ano!

Para iniciar o ano estamos registrando, os paratletas  que compareceram na tradicional corrida de São Silvestre, realizada em São Paulo, nas mediações da Avenida Paulista, que ocorre todos os anos no dia 31 de dezembro...

Quem fez bonito nesse esporte foi o atleta Edson Dantas:

 

E como outros também representaram as pessoas com deficiência

Rosangela Moreira

http://blogsentidos.blogspot.com/



Categoria: Informação
Escrito por Rosângela Moreira ou Pinheiro às 11h49 PM
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



 
 

Lutas e conquistas

Secretaria de Estado inaugura Memorial da Inclusão: os Caminhos da Pessoa com Deficiência

 No dia 3 de dezembro, Dia Internacional da Pessoa com Deficiência, a Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência inaugurou o Memorial da Inclusão: os Caminhos da Pessoa com Deficiência. O objetivo é resgatar a história de lutas e conquistas das pessoas com deficiência na busca de dignidade e igualdade de direitos. Para marcar a data, o Memorial  apresentou uma exposição fotográfica e de documentos pontuais.

A abertura da exposição foi antecedida do Seminário "Memórias, Conquistas e o Futuro do Movimento das Pessoas com Deficiência no Brasil", o qual contou com palestrantes envolvidos na luta pelos direitos das pessoas com deficiência, que traçaram um panorama dos últimos anos e perspectivas para o futuro.

fonte: http://sentidos.uol.com.br

Rosangela Moreira



Categoria: Informação
Escrito por Rosângela Moreira ou Pinheiro às 2h05 PM
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



Tecnologia e Inovação

Inscrições abertas para o Encontro Internacional de Tecnologia e Inovação para Pessoas com Deficiência que será organizado pela Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência

 
  
 

A Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência organiza, entre 08 e 10 de dezembro, no WTC Sheraton, na capital paulista, o primeiro Encontro Internacional de Tecnologia e Inovação para Pessoas com Deficiência. O objetivo do evento é promover uma grande discussão sobre a importância das tecnologias assistivas e ajudas técnicas no processo de reabilitação e no dia-a-dia das pessoas com deficiência, com mobilidade reduzida, permanente ou temporária, idosos e seus familiares, cuidadores, profissionais da saúde, educadores e, em grande medida, de toda a sociedade, cada vez mais diversa e inclusiva.

Paralelamente, esta iniciativa visa fomentar a fabricação e a oferta desses produtos no mercado nacional, estimulando a inovação, a produção em larga escala e o seu barateamento para o público consumidor, garantindo, assim, uma melhor qualidade de vida para as pessoas que deles necessitam.

A programação do Encontro contempla:
- Seminários sobre os principais temas relacionados a esse universo, com a participação de especialistas nacionais e estrangeiros.
- Exposição de produtos e serviços, com mais de 50 empresas e instituições de vários países, tendo como foco a inovação tecnológica, bem como as novidades introduzidas pela Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência, do IMREA - Instituto de Medicina Física e de Reabilitação (HC FMUSP) e do Instituto de Reabilitação Rede Lucy Montoro.

- Rodada de Negócios tendo como convidados, de um lado, os expositores e, do outro, investidores, empreendedores, instituições da área da saúde e grandes varejistas.
O Encontro Internacional de Tecnologia e Inovação para Pessoas com Deficiência insere-se em um momento oportuno, tendo em vista o aumento da conscientização sobre estas questões, inclusive em função das transformações sociais e infraestruturais que a Copa de 2014 e as Olimpíadas de 2016 exigirão.

Com este evento, e também pelas demais ações desenvolvidas ao longo do ano, a Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência está segura de sua contribuição para garantir o acesso das pessoas com deficiência a todos os bens, produtos e serviços existentes, no sentido de construir uma sociedade melhor para todos.

As inscrições devem ser feitas pelo site
http://www.simparatodos.com.br/inscricao_visitante.php

http://sentidos.uol.com.br/
Rosangela Pinheiro



Escrito por Rosângela Moreira ou Pinheiro às 11h43 AM
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



 
 

Para-panamericano

Conquista brasileira
Atleta mineiro conquista 2 medalhas de prata Para-panamericano Juvenil, na Colômbia
 
O tenista Rafael exibe com orgulho as medalhas que conquistou na Colômbia

O tenista paraolímpico mineiro Rafael Medeiros, de 19 anos, da equipe da ONG Tênis Para Todos, conquistou 2 medalhas de prata no Para-panamericano Juvenil, realizado em outubro em Bogotá, na Colômbia.

Rafael sagrou-se vice-campeão na chave de simples, sendo derrotado na final pelo argentino Gustavo Fernandez. Nas duplas, tendo como companheiro o paulista Pedro Rocha, também conquistou o 2º lugar, quando a dupla brasileira foi derrotada pelos argentinos Gustavo Fernandez/ Ezequiel Casco.

Rafael Medeiros formou-se como atleta paraolímpico no Programa Tênis Sobre Rodas, da Tênis Para Todos, integrando a equipe de competições da entidade, sendo atualmente o nº 1 no ranking brasileiro de duplas e 5º no ranking de simples.

A Tênis Para Todos - esporte com qualidade e responsabilidade - está sediada em Belo Horizonte e foi registrada oficialmente em janeiro de 2004 e desenvolve os Programas "Tênis Sobre Rodas", "SuperAção", "Tênis nas Vilas", "Tênis na Escola" e "Tênis no Parque".

Os tenistas Daniel Rodrigues e Rafael
Medeiros, atletas da ONG Tênis Para Todos

A entidade especializou-se no planejamento e administração de programas sócio-esportivos para crianças e adolescentes de famílias de baixa renda, pessoas com deficiência física ou mobilidade reduzida de todas as faixas etárias e classes sociais, e treinamento de atletas de alto rendimento de tênis paraolímpico para competições.

Através do seu Programa "Tênis Para Todos Universitário", proporciona a integração de universitários com alunos e atletas de tênis paraolímpico, capacitando-os para a modalidade e o trabalho com a mesma, além de fomentar pesquisas para a elaboração de material científico.

A organização além de promover torneios estaduais, nacionais e internacionais, desenvolve palestras sobre Motivação, Esporte, Inclusão e Progressão Social, Esporte Adaptado, Organização de Eventos e outros temas.

http://sentidos.uol.com.br

Rosangela Moreira



Categoria: Informação
Escrito por Rosângela Moreira ou Pinheiro às 8h15 PM
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



 
 

Rumo ao Canadá

Com paralisia cerebral grave e movimentos apenas do pescoço para cima, Antônio Leme dedica-se há três anos ao esporte
 
  
 
 

Tó treina há três anos juntamente com outros atletas na Cepac

A cidade de Jacareí, no Vale do Paraíba, terá um representante na seleção brasileira que competirá na Copa América de Bocha Adaptada. O atleta Antônio Leme, conhecido como Tó, é integrante da equipe de bocha adaptada para pessoa com deficiência de Jacareí e foi convidado pela Associação Nacional de Desporto para Deficientes (Ande) para integrar a delegação do Brasil. A disputa ocorre em Montreal, no Canadá, entre os dias 24 e 29 de outubro.

Aos 44 anos, Tó joga há três anos pela modalidade BC3, categoria destinada a pessoas com paralisia cerebral severa. Ele se movimenta apenas do pescoço para cima e não fala, mas, mesmo assim, dedica-se aos estudos do esporte e trabalha como vendedor de doces nas ruas do centro da cidade, com ajuda de sua cadeira de rodas elétrica

O convite para fazer parte da seleção brasileira de bocha adaptada, que contará com 11 esportistas, surgiu após o atleta conquistar a medalha de prata no Campeonato Regional de Bocha Adaptada, disputado em agosto na cidade de Taboão da Serra, na Grande São Paulo.

O atleta é um dos jogadores mais antigos da equipe de bocha adaptada de Jacareí, formada por mais seis pessoas, com idades entre 35 e 45 anos. Desde que foi criado, há três anos, o grupo treina no espaço cedido pela prefeitura da cidade, que mantém convênio com Associação Criança Especial de Pais Companheiros (Cepac), sob a supervisão de professores de educação física, que são contratados pela prefeitura para atender o time.

A conquista da prata em
Taboão da Serra(SP)
garantiu ao atleta a
vaga para o Canadá

http://sentidos.uol.com.br/canais/materia

Rosangela Moreira



Categoria: Informação
Escrito por Rosângela Moreira ou Pinheiro às 11h55 PM
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



 
 

Exposição de fotos

"Vida - Obra: Desdobramentos do Trabalho com o Sistema Braille no Brasil" é uma homenagem ao bicentenário de Louis Braille, que apresenta um registro das conquistas de brasileiros com deficiência visual"

Controle de montagem de livros feitos por pessoas com deficiência visual

A exposição fotográfica "Vida - Obra: Desdobramentos do Trabalho com o Sistema Braille no Brasil" acontece de 2 a 19 de setembro noEspaço Cultural do Conjunto Nacional, e São Paulo.A realização da exposição gratuita é uma homenagem ao bicentenário de Louis Braille, francês criador do sistema de leitura para pessoas com deficiência visual e para comemorar o Dia Municipal do Braille, quefoi celebrado no dia 3 de setembro.

A exposição pretende abordar a complexidade e a diversidade entre invenção e inventor, por meio de fatos e episódios da vida de Louis Braille. O público conhecerá a história da educação de pessoas com deficiência visual a partir de e de importantes nomes que contribuíram para seu desenvolvimento como Valentin Haüy, Charles Barbier e do próprio Louis Braille. Haverá também o ensaio fotográfico de Rogério Albuquerque, que registrou cenas, como as fotos que ilustram essa matéria, de entidades que utilizam o Sistema Braille, como um instrumento de conquistas das pessoas com deficiência visual, na cidade de São Paulo.

O evento é organizado pelas ONGs Projeto Acesso - Centro Brasileiro de Apoio Pedagógico Especializado ao Deficiente Visual, e pela Unidade para Reabilitação de Deficientes Visuais, a URDV, da Associação Cívica Feminina (ACF). Ambas integram a Comissão Paulistana em Homenagem ao Bicentenário de Louis Braille (CPHBLB), formada especialmente pela União Nacional de Cegos para celebrar o aniversário de um dos personagens mais significativos do universo de pessoas com deficiência visual.

"Apesar do avanço tecnológico, o alfabeto Braille, embora aperfeiçoado, continua sendo o Alfabeto Universal da Leitura e Escrita Direta para Cegos. Ele permite autonomia, independência e liberdade de expressão, já que ler e escrever nos diferenciam enquanto seres sociais", revela Vera Zednik, presidente do Projeto Acesso.

Louis Braille (1809-1852) perdeu a visão aos três anos de idade devido a um acidente na selaria de seu pai. Dono de inteligência brilhante, aos 16 anos, ele apresentou a primeira versão de um sistema de escrita e leitura, baseado na combinação de seis pontos em relevo, que permitia a representação do alfabeto e dos números, da simbologia aritmética, da fonética e da musicográfica.

José Álvares de Azevedo, um jovem cego que havia estudado em Paris, introduziu no Brasil o Sistema Braille, em meados de 1850. O País foi o primeiro do continente americano a adotar o Sistema.

Aula de matemática para o 5º ano
na Instituição Padre Chico

Curso de musicografia em Braille na
Associação Laramara

De acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde), existem hoje no mundo 180 milhões de pessoas com deficiência visual, sendo 45 milhões cegos. O Brasil tem cerca de 1,5 milhão de pessoas com deficiência visual, segundo a ONU. Dentre eles 900 mil puderam receber os benefícios do Sistema Braille. "Vida - Obra: Desdobramentos do trabalho com o Sistema Braille no Brasil" é uma oportunidade para que as pessoas possam aproximar o olhar de uma realidade que traz luz a milhares de brasileiros.

Para ser realizado, o evento contou com o apoio institucional do Condomínio Conjunto Nacional, de Efeito Visual, do Instituto Benemérito Angelina Salvatore, do InstanColor, da Ketchum Estratégia e de Rogério Albuquerque Fotografia, entre outros.

Vida - Obra: Desdobramentos do Trabalho com o Sistema BrailLe no Brasil
Data: 2 a 19 de setembro
Onde: Espaço Cultural do Conjunto Nacional - térreo (Av. Paulista, 2.073)
Horário: das 7h às 22h
Entrada gratuita
http://sentidos.uol.com.br

Rosangela Pinheiro



Categoria: Informação
Escrito por Rosângela Moreira ou Pinheiro às 3h23 PM
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



 
 

Inclusão

Instituto ajuda na inclusão de deficientes visuais

Em Cuiabá, deficientes visuais têm aula de música, canto, informática e braile, numa iniciativa que conta com o apoio do Criança Esperança.

Suelen Frigo Cuiabá

 

Sabrina e os amigos fazem parte da banda da Associação dos Cegos de Mato Grosso. Eles ensaiam toda a semana e, a cada apresentação, exibem o que aprenderam.

O Instituto, beneficiado com recursos do Criança Esperança, tem 180 alunos. Desde cedo os pequenos têm aula de mobilidade, aprendem a caminhar nas ruas e avenidas, com segurança.

"Hoje em dia os carros são muito silenciosos. Eles tem essa dificuldade de ouvir o barulho carro. Muitas vezes quando eles vão atravessar, o carro está muito em cima", diz a professora, Vânia Cristina de Carvalho.

O Instituto tem 30 anos nesse período mais de quatro mil alunos passaram por aqui. Este é um dos momentos mais importantes. Os deficientes visuais estão sendo preparados para frequentar uma escola regular.

No papel em alto relevo eles deslizam os dedos, interpretam os sinais, decifram cada palavra. Maurício, 11 anos, revela um outro talento: o de desenhista. No papel, um mundo que nunca teve a oportunidade de ver.

http://g1.globo.com/jornaldaglobo/0,,MUL1290775-16021,00-INSTITUTO+AJUDA+NA+INCLUSAO+DE+DEFICIENTES+VISUAIS.html

Rosangela Moreira



Categoria: Informação
Escrito por Rosângela Moreira ou Pinheiro às 1h54 AM
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



 
 

Em cadeira de rodas

Brasileiros representarão o país em evento de dança esportiva em cadeiras de rodas, na Rússia.

 
 

Campeonato Mundial 2008 - Minsk/Bielorússia

  

A Associação Baiana de Dança em Cadeira de Rodas (ABDCR), através da dupla Cabral & Anete, representará o Brasil pela 1ª vez na Copa dos Continentes 2009 - The International Wheelchair Dance Sport Competition que ocorrerá em St. Petersburg, na Rússia, no período de 28 a 31 de agosto de 2009. Além do Brasil, participarão desta competição mais 12 países: Áustria, Bielorússia, Finlândia, Alemanha, Hong Kong, Israel, Kazaquistão, Malta, Holanda, Noruega, Slovakia e Rússia.

A participação do Brasil, num evento como este, é muito importante. A dupla terá oportunidade de competir com outras equipes e adquirir novos conhecimentos e informações acerca do universo da Dança Esportiva em Cadeira de Rodas (DECR), bem como as variações da modalidade. Serão apresentadas a DECR na versão de combi dance (cadeirante e andante), duo dance (dois cadeirantes), internacional team match (DECR em grupo), assim como a Dança em Cadeira de Rodas nas versões Latin American Dance, Folk Dance, Freestyle Dance e Single.

"Tudo isto representará um leque de opções para mostrarmos aos bailarinos tanto da nossa Associação, como para outros de todo o Brasil o nosso trabalho,pois nosso objetivo é continuarmos sendo multiplicadores dessas informações que temos a certeza, agregarão mais adeptos à prática da Dança Esportiva em Cadeira de Rodas", diz a dançarina da Cia Rodas no Salão, Anete Cardoso Cruz.

A Associação Baiana de Dança em Cadeira de Rodas é uma entidade sem fins lucrativos, que existe desde 2002, mas que se tornou pessoa jurídica em 2006 e que trabalha na promoção da pessoa com deficiência e resgate da auto-estima através da prática da dança, seja na modalidade esportiva como artística.

Atualmente a ABDCR contempla a CRS (Cia Rodas no Salão) que funciona todos os dias e a EDROS (Escola de Dança Rodas no Salão) na qual é oferecida, às 3ª e 5ªf, das 14:30h às 17:30h, aulas gratuitas de DECR, para pessoas com e sem deficiência física.
Da escolinha já saíram alguns talentos que hoje fazem parte da CRS e que este ano já participarão pela 1ª vez do Campeonato Brasileiro que ocorrerá em dezembro, em Juiz de Fora - MG.

 Uol sentidos

Rosangela Pinheiro



Categoria: Informação
Escrito por Rosângela Moreira ou Pinheiro às 1h44 AM
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



 
 

Dia Municipal do Braille

Dia Municipal do Braille

Data é comemorada com ciclo de palestras que será realizado de agosto a novembro

 

 
 

Em homenagem às comemorações dos 200 Anos de Nascimento de Louis Braille, inventor do sistema de escrita e leitura por pontos em relevo utilizado pelas pessoas cegas de todo o mundo, foi sancionada no dia 12 de maio de 2009, a Lei Municipal nº 14.925, que instituiu na cidade de São Paulo o "Dia Municipal do Braille", a ser comemorado anualmente no dia 03 de setembro.

O "Dia Municipal do Braille" tem como objetivo ser um momento de reflexão e discussão onde a educação, a empregabilidade e a inclusão social das pessoas cegas e com baixa visão sejam avaliadas e novos rumos sejam apontados a fim de que a sociedade crie seus mecanismos para favorecer o desenvolvimento intelectual, profissional e social dos deficientes visuais no Brasil.

"Louis Braille foi um jovem brilhante que ao inventar um sistema de leitura e escrita para as pessoas cegas mudou a vida destas pessoas em todo o mundo. O Sistema Braille garante maior independência, autonomia e segurança, fatores indispensáveis à auto-estima de todo ser humano", comenta Dorina de Gouvêa Nowill, 90 anos, primeira aluna cega a freqüentar um curso regular na rede de ensino.

As Comemorações do Bicentenário de Louis Braille começaram em 4 de janeiro de 2009 e se estenderão até 4 de janeiro de 2010. O francês nasceu em 4 de janeiro de 1809, ficou cego durante a infância e, em 1825, aos 16 anos, apresentou a primeira versão de um sistema de escrita e leitura que mudou a vida das pessoas cegas em todo o mundo.


De agosto a novembro de 2009 as instituições da Comissão Paulistana para o Bicentenário de Louis Braille organizam palestras com temas relacionados ao sistema de escrita e leitura em relevo e seu inventor. Serão abordados temas como a produção de livros em braille, a evolução do sistema braille no mundo, a importância de Louis Braille para as pessoas cegas, novas tecnologias, educação de pessoas com deficiência visual e políticas públicas nesta área.

As palestras buscam aproximar o tema da deficiência visual dos mais diversos públicos da comunidade já que uma das dificuldades do deficiente visual é que as demais pessoas a sua volta não conhecem os recursos disponíveis para o aprendizado e as possibilidades de inclusão das pessoas cegas e com baixa visão.

Com inscrições gratuitas as palestras são voltadas para professores, profissionais, familiares e demais interessados.


O ciclo iniciou no dia 26 de agosto, com a palestra "A Produção do Livro em Braille". Promovido pela Fundação Dorina e Associação Brasileira de Educadores de Deficientes Visuais. O encontro aconteceu na Sala de Debates do Centro Cultural São Paulo, Rua Vergueiro, nº 1000 - Paraíso, São Paulo.


As demais palestras serão:

"O Braille Nosso de Cada Dia", no dia 12 de setembro, das 15h às 17h. Realizada na Sala de Debates do Centro Cultural São Paulo, e promovida pela ADEVA, CADEVI e Biblioteca Louis Braille do Centro Cultural São Paulo.

"O Braille nos dias de Hoje: sua história e seu futuro", promovido pela Sociedade Bíblica do Brasil acontecerá no dia 19 de setembro, as 8h30min, no Museu da Bíblia, Av. Pastor Sebastião Davino dos Reis, nº 672, Barueri.
Inscrições: (11) 3245-8985 ou 3474-5733.

"O Sistema de Leitura e Escrita em Braille no Processo Educacional do Público Deficiente Visual", promovido pelo Centro de Apoio Pedagógico Especializado de São Paulo, Instituto de Cegos Padre Chico, Projeto Acesso e URDV e CAPE-SP, acontecerá no dia 07 de outubro, das 14h às 17h, no CAPE São Paulo, Rua Pensilvânia, nº 115, Brooklin, São Paulo.
Inscrições: (11) 5091-3700 | cape@edunet.sp.gov.br

Já a palestra "O Braille no Cenário das Novas Tecnologias", promovida pela Associação Brasileira de Assistência ao Deficiente Visual - LARAMARA acontecerá no dia 11 de novembro de 2009, das 13h30 às 16h, no Auditório da Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Av. Auro Soares de Moura Andrade, 564 - Portão 10 - Barra Funda.
Inscrições: (11) 3660-6412 | eventos@laramara.org.br

O ciclo de palestras "200 Anos de Nascimento de Louis Braille - O Sistema Braille como instrumento de conquistas" encerra no dia 18 de novembro, das 15h as 17h com o tema "Políticas públicas e o Braille". Organizado pela Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência e Secretaria de Estado da Educação o encontro será no Auditório da Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Av. Auro Soares de Moura Andrade, 564 - Portão 10 - Barra Funda.
Inscrições: (11) 5091-3700 | cape@edunet.sp.gov.br

Reportagem: Redação Sentidos

Rosangela Moreira



Categoria: Informação
Escrito por Rosângela Moreira ou Pinheiro às 12h17 AM
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



 
 

Ensino de Libras

Ministério da Educação
Universidade Federal de Santa Catarina
Prolibras 2009 - Certificação de Proficiência na LIBRAS


Intérpretes e a quem interessar:

Estarão abertas no período de 01/09/2009 até às 23h59min do dia 30/09/2009 (observado o Horário Oficial de Brasília), pelo site
http://www.prolibra s.ufsc.br/ as inscrições ao Exame Nacional para Certificação de Proficiência no uso e no ensino da Libras e para Certificação de Proficiência na tradução e interpretação da Libras/Portuguê s/Libras, denominado Prolibras, conforme Decreto 5626/05 que regulamenta a Lei nº 10436 de 24 de abril de 2002. 

Para os intérpretes que ainda não tem certificação que a inscrição é OBRIGATÓRIA!! !!!!!!
Consulte o site abaixo para maiores detalhes
http://www.prolibras.ufsc.br/

Rosangela Pinheiro




Categoria: Informação
Escrito por Rosângela Moreira ou Pinheiro às 12h01 AM
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



 
 

Ligado

Teatro inclusivo

Espetáculo associa difusão da arte e da cultura à inclusão por meio da oferta simultânea de distintas medidas de acessibilidade

Cena da peça: Ninguém Mais Vai Ser Bonzinho

A Escola de Gente - Comunicação em Inclusão e o Instituto Oi Futuro promoverão, no dia 24 de agosto, no Centro Cultural Solar de Botafogo, no Rio de Janeiro, uma apresentação especial da comédia "Ninguém Mais Vai Ser Bonzinho", com Os Inclusos e os Sisos - Teatro de Mobilização pela Diversidade, projeto de arte para transformação social da Escola de Gente. A iniciativa tem apoio do Ministério da Cultura, por meio da Secretaria de Identidade e Diversidade Cultural - SID/MinC. O evento contará com a presença do Secretário da SID/MinC, Américo Córdula.

Comédia ágil e de suspense policial, "Ninguém Mais Vai Ser Bonzinho" mostra formas sutis de discriminação evidenciadas por uma situação limite na qual quatro pessoas, entre elas uma jovem com síndrome de Down, presas em um ônibus seqüestrado e sem perspectiva de ajuda, lutam para não morrer.

A peça, livremente inspirada em livro da jornalista Claudia Werneck - presidente da ONG Escola de Gente - é escrita por Diego Molina com supervisão de Bosco Brasil e foi produzida em 2007, tornando-se a primeira peça de teatro brasileira a garantir a pessoas com deficiência e ou mobilidade reduzida o direito de participar em igualdade de condições da vida cultural de suas comunidades, e desde então tem percorrido diferentes estados do país.

O espetáculo conta com acessibilidade na comunicação, pois associa difusão da arte e da cultura à inclusão por meio da oferta simultânea de distintas medidas de acessibilidade, como tradução para Língua brasileira de sinais (Libras), legenda eletrônica audiodescrição, programas impressos em tinta e em braile.

Espetáculo: Ninguém mais vai ser bonzinho
Data: 24 de agosto de 2009
Horário: 19 horas
Local: Centro Cultural Solar de Botafogo - Rua General Polidoro, 180, Botafogo, Rio de Janeiro - RJ. (Teatro com acessibilidade física)
Reserva de convites através do e-mail: escoladegente@escoladegente.org.br
Realização: Escola de Gente - Comunicação em Inclusão
Patrocínio: Oi
Apoio: Oi Futuro, Lei de Incentivo a Cultura - Ministério da Cultura, Brasil - Um País de Todos.

http://sentidos.uol.com.br

Rosangela Pinheiro



Categoria: Informação
Escrito por Rosângela Moreira ou Pinheiro às 3h13 AM
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



 
 

Fique Ligado!

 
 
Ligadomais matérias deste canal
 
  
 
Inserida em: 3/8/2009
 
Foto: Divulgação
 
Reportagem: Redação Sentidos
 
 
 

Assim Vivemos

Assim Vivemos, 4° Festival Internacional de Filmes sobre Deficiência acontecerá no Rio, Brasília e São Paulo

Festival Assim Vivemos: cenas do filme Sentidos à Flor da Pele, de Evaldo Mocarzel

Nesse segundo semestre o Rio de Janeiro, Brasília e São Paulo serão sedes do Assim Vivemos - 4º Festival Internacional de Filmes sobre Deficiência. Na programação deste ano, predominam filmes centrados nos indivíduos: em suas subjetividades, sentimentos, idéias, conflitos familiares e dramas pessoais, refletindo uma tendência do documentário e da produção artística em todo o mundo.

Criado por Gustavo Acioli e Lara Pozzobon, o Festival, patrocinado pelo Centro Cultural Banco do Brasil, é promovido a cada dois anos. Sua primeira edição foi realizada em 2003, no Rio de Janeiro e em Brasília. Desde então, o festival proporciona todas as acessibilidades nas sessões dos filmes como a audiodescrição (descrição de tudo o que aparece na imagem dos filmes e que não pode ser entendido apenas pelo áudio), legendas com Closed Caption (inclusive nos filmes brasileiros), intérpretes de Língua de Sinais (LIBRAS), catálogos em Braille, além de disponibilizar acessos adaptados para cadeirantes.

O festival será realizado de 04 a 16 de agosto no Rio de Janeiro, de 25 de agosto a 06 de setembro em Brasília e de 07 a 18 de outubro em São Paulo, no Centro Cultural Banco do Brasil. Serão exibidos 24 filmes de 13 países. O Brasil participa do festival com quatro produções nacionais. Sentidos à Flor da Pele, de Evaldo Mocarzel, Pindorama, de Roberto Berliner, Lula Queiroga e Leo Crivellare, Dreznica, de Anna Azevedo e O Vôo da Cegonha, de Laly Cataguases.

Também serão realizados debates sobre temas específicos, congregando pessoas com deficiência, profissionais especializados, professores universitários, diretores de cinema, entre outros.

Todas as sessões terão entrada franca. Veja a programação completa acessando o link:
http://www.assimvivemos.com.br/www/2009/index.php/programa/

O Programa Assim Vivemos está sendo transmitido pela TV BRASIL desde março e ficará em cartaz até agosto, sempre aos domingos, às 18h30.

http://sentidos.uol.com.br

Rosangela Pinheiro



Categoria: Informação
Escrito por Rosângela Moreira ou Pinheiro às 10h03 PM
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



Vídeo

Projeto com crianças surdas ou com deficiência auditiva da Faculdade de Agudos (FAAG).
As crianças fizeram a abertura do Show do Babado Novo em Bauru interpretando a musica Bola de Sabão e foram ovacionadas pelo público presente.

 

 

http://www.youtube.com/watch?v=-WnKhigsHmc

Rosangela Moreira Pinheiro

 



Escrito por Rosângela Moreira ou Pinheiro às 9h51 PM
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



 
 

Interatividade

Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência amplia comunicação com os cidadãos com o objetivo é oferecer maior interatividade e dinamismo

A fim de ampliar os canais de comunicação com os cidadãos e de disseminação de informações referentes à pessoa com deficiência e à pasta, a Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência lançou no dia 14 de julho seus perfis nas redes sociais Twitter e Facebook.

O endereço no Twitter pode ser acessado em
http://twitter.com/deficienciasp. No site serão publicadas notícias da Secretaria, outras pastas do governo e relacionadas ao assunto da pessoa com deficiência, como novidades em acessibilidade, inclusão, eventos, entre outros assuntos. Usuários do site podem seguir o usuário @deficienciasp. Internautas com acesso a leitores de feed RSS podem receber as atualizações do Twitter da Secretaria a partir do endereço http://twitter.com/statuses/user_timeline/53392269.rss.

A comunidade virtual Facebook também hospeda um perfil da Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência. Para acessá-lo, basta ter cadastro no site e buscar o nome Deficiência SP ou pelo e-mail
faleconosco@pessoacomdeficiencia.sp.gov.br.

Nova determinação
Uma resolução da Secretaria de Gestão Pública, publicada no Diário Oficial de 27 de junho, prevê a liberação do acesso às redes sociais aos funcionários dos órgãos públicos. A nova regra exige que os órgãos paulistas passem a ter acesso irrestrito no ambiente de trabalho às novas ferramentas sociais da web 2.0, que servem como canais de comunicação, armazenamento e compartilhamento de arquivos. Antes da permissão, cada órgão estadual definia o uso da comunicação na rede e algumas áreas da administração pública restringiam parcial ou totalmente esses sites.

Sobre as novas ferramentas
Twitter é uma rede social e servidor para microblogging que permite aos usuários que enviem e leiam atualizações pessoais de outros contatos (em textos de até 140 caracteres, conhecidos como "tweets"), através da própria Internet ou por SMS (torpedos).

Facebook é um site de relacionamento social, onde os usuários podem se juntar em uma ou mais redes, como um colégio, um local de trabalho ou uma região geográfica. O site é gratuito para os usuários, que criam perfis com fotos e listas de interesses pessoais, trocando mensagens privadas e públicas entre si e participantes de grupos de amigos. A visualização de dados detalhados dos membros é restrita para membros de uma mesma rede ou amigos confirmados.

A tecnologia do RSS permite aos usuários da internet se inscreverem em sites que fornecem "feeds" RSS. Estes são tipicamente sites que mudam ou atualizam o seu conteúdo regularmente. Para isso, são utilizados Feeds RSS que recebem estas atualizações, desta maneira o utilizador pode permanecer informado de diversas atualizações em diversos sites sem precisar visitá-los um a um. Os feeds RSS oferecem conteúdo Web ou resumos de conteúdo juntamente com os links para as versões completas deste conteúdo.

http://sentidos.uol.com.br/canais/materia.

Rosangela Pinheiro



Categoria: Informação
Escrito por Rosângela Moreira ou Pinheiro às 9h29 PM
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



 
 

Oficina Vivencial

Parceria torna informática aliada na inclusão escolar de alunos com deficiência

O aluno Leonardo Neves terminou o ensino fundamental em 2008. Está cursando o ensino médio

Utilizar recursos e ferramentas de informática na inclusão de alunos com paralisia cerebral. Esse é o objetivo dos programas que são desenvolvidos pelos professores da Oficina Vivencial de Ajudas Técnicas para a Ação Educativa. Um espaço que integra o Centro de Referência em Educação Especial do Instituto Helena Antipoff, órgãos vinculado à Secretaria Municipal de Educação do Rio de Janeiro em parceria com o professor de engenharia eletrônica Paulo Lucio da Silva Aquino que trabalha no CEFET/RJ - Centro Federal de Educação Tecnológica Celso da Fonseca. A iniciativa beneficia alunos de toda rede municipal de ensino que tenham algum tipo de limitação motora, e que por intermédio de ferramentas de informática passam a ter a possibilidade de interagir na escola.

O projeto existe há 15 anos e foi criado para dar apoio ao professor e ao aluno da rede municipal de ensino do Rio. Maristela Conceição Siqueira é uma das professoras engajadas no programa e tem trabalhado para que a inclusão de alunos com deficiência tornasse realidade. "Dentro das necessidades do aluno nós procuramos alternativas para que ele possa freqüentar a escola. As adaptações são idealizadas para atender as necessidades de cada aluno", diz Maristela. Em função disso é desenvolvida uma série de ferramentas e adaptações: mouse, teclados e assionadores (ferramenta que possibilita a pessoa interagir com o computador tocando com o queixo ou qualquer outra parte do corpo assim executar a função que deseja), com o intuito de favorecer este aluno no processo de aprendizado, de comunicação, facilitando assim a inclusão no cotidiano da escola.

De acordo com Maristela, cerca de 15 mil alunos estão integrados na rede pública. Os alunos matriculados na rede municipal de ensino, seja em escola especial, em classe especial ou inserido em uma turma regular que tenham necessidade de algum tipo de adaptação ou ferramenta, conseguem viver de forma mais independente na sala de aula, seja para escrever ou para se comunicar. Ela diz ainda que as adaptações são elaboradas a partir da desejo desse aluno, de seu professor e da família.

Segundoa professoraprimeiro é feito um contado com o professor dessa criança para depois esse aluno ir até a oficina para vivenciar algumas situações do cotidiano escolar. A partir das observações dessas necessidades a equipe da oficina vai sugerir os recursos e adaptações que vão satisfazer essas necessidades. São adaptações no mobiliário escolar e recursos que vão favorecer esse aluno, dando autonomia e possibilitando assim uma maior interatividade entre ele, seus professores e colegas.

Maristela está no projeto há três anos, mas já trabalha como professora itinerante desde o inicio da criação das oficinas. Durante esses anos a professora ajudou e acompanhou o trabalho de inclusão de alunos com vários níveis de limitação física e que conseguiram concluir o ensino fundamental e hoje estão cursando o ensino médio fora da rede municipal. Um desses alunos é o Leonardo Neves, que por causa da paralisia cerebral se locomove por cadeira de rodas, tem dificuldade de fala bem acentuada e limitação motora. Segundo Maristela, Leonardo entrou na rede municipal com 7 anos de idade, em turma regular. O aluno foi alfabetizado por meio de várias adaptações criadas pela professora, sendo que a principal delas foi o uso de um teclado especial para que pudesse escrever na sala de aula. Hoje, Leonardo está com 20 anos e cursando o primeiro ano do ensino médio.

Dependendo do tipo de atividade a Oficina Vivencial, que além de Maristela ainda conta com as professoras Hilda Gomes e Janaina Larrate, realiza o atendimento de cerca de 10 crianças com limitações físicas por mês. Além disso, as professoras também prestam atendimento aos professores, orientando-os a melhor maneira de trabalharem com alunos com deficiência em suas salas de aula.

A Oficina Vivencial de Ajudas Técnicas para a Ação Educativa funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, na Rua Mata Machado, 15, no Maracanã. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone: (21) 2569-6806.

http://sentidos.uol.com.br/canais/materia

Rosangela Pinheiro



Categoria: Informação
Escrito por Rosângela Moreira ou Pinheiro às 9h08 PM
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



 
 

Recursos para a educação inclusiva

 

Para quem não enxerga ou não consegue se movimentar, equipamentos, objetos e brinquedos inclusivos possibilitam um aprendizado mais fácil

Meire Cavalcante (novaescola@atleitor.com.br) type="text/javascript">

A criança chega à escola sem falar ou mexer braços e pernas. É possível ensiná-la a ler, por exemplo? Sim, e na sala regular. Para quem tem deficiência, existe a tecnologia assistiva, composta de recursos que auxiliam na comunicação, no aprendizado e nas tarefas diárias.
As chamadas altas tecnologias são, por exemplo, livros falados, softwares ou teclados e mouses diferenciados. "Existem recursos para comandar o computador por meio de movimentos da cabeça, o que ajuda quem tem lesão medular e não move as mãos", afirma a fisioterapeuta Rita Bersch, diretora do Centro Especializado em Desenvolvimento Infantil, em Porto Alegre, onde as crianças que aparecem nesta reportagem são atendidas. Já as baixas tecnologias são adaptações simples, feitas em materiais como tesoura, lápis ou colher. 

Com o mesmo intuito de promover a inclusão, há brinquedos que divertem crianças com e sem deficiência. Os mostrados aqui foram feitos por alunos de Arquitetura da Universidade Federal de Santa Catarina. Já os livros táteis são do Centro de Apoio Pedagógico para Atendimento às Pessoas com Deficiência Visual, de Florianópolis. O educador da classe regular pode procurar esses materiais na sala de atendimento educacional especializado (a sala de apoio). "Nela, o professor especializado oferece recursos e serviços que promovem o acesso do aluno ao conhecimento escolar. Por isso, o diálogo entre os dois profissionais é fundamental", afirma Rosângela Machado, coordenadora de Educação Especial do município de Florianópolis. Confira alguns materiais que podem favorecer a aprendizagem da sua turma.

 

         TECLADO VERSÁTIL

Matheus Levien Leal, 10 anos, está na 4a série e tem paralisia cerebral e baixa visão. Ele usa um teclado com várias lâminas, trocadas de acordo com a atividade. A de escrita, por exemplo, tem cores contrastantes e letras grandes. O equipamento é programado para ajustar o intervalo entre os toques, evitando erros causados por movimentos involuntários.

        DIGITAÇÃO SEM ERROS

O suporte, colocado sobre o teclado, chama-se colméia. Ele impede que o estudante com dificuldade motora pressione a tecla errada. 

       NUM PISCAR DE OLHOS

O acionador faz a função do clique do mouse e pode ser ativado ao bater ou fechar a mão, puxar um cordão, piscar, soprar, sugar... O aparato pode ser colocado em qualquer parte do corpo do aluno. Com ele, é possível acessar livros virtuais, brincar com jogos e até digitar, usando um teclado virtual.

           JOGOS COLORIDOS

João Vicente Fiorentini, 10 anos, tem deficiência física e está na2a série. Por causa da dificuldade de segurar o lápis, ele usa materiais adaptados e aprende a escrever com jogos feitos de tampinhas e cartões plastificados. O material permite a João ainda relacionar cores e quantidades.

Rosangela Pinheiro



Categoria: Tecnologias Assistivas
Escrito por Rosângela Moreira ou Pinheiro às 9h51 PM
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



São João traduzido para a Libras

Bandeirolas, pipoca, quadrilha. Aprendendo a língua de sinais, portadores de deficiência auditiva curtem a festa junina e se inserem na sociedade

Assim se diz verde: na hora de decorar a sala de aula,
a turma conhece as cores. Foto: Edson Ruiz.

Sergipe tem nos festejos juninos sua maior expressão cultural. Na escola, a garotada aprende a importância de manter viva a tradição e, é claro, dança quadrilha e se delicia com as guloseimas. O sonho da professora Loide Araújo Guimarães, da Escola Municipal de Educação Infantil Ana Luiza Mesquita Rocha, em Aracaju, era que, em sua turma, todos (sem exceção) compreendessem a riqueza da celebração. Um desafio e tanto. Loide é responsável por uma sala de recursos e, no ano passado, entre os oito alunos havia três com deficiência auditiva e idade entre 4 e 5 anos. "Para participar da festa com as outras crianças eles precisavam conhecer aquele universo por meio da Língua Brasileira de Sinais", justifica.

Ao basear seu trabalho no ensino da Libras, Loide está no caminho certo. "A primeira língua a ser usada por pessoas com deficiência auditiva é a de sinais. É a Libras que vai dar base para a aprendizagem da segunda língua, no caso o português", explica Maria Inês Vieira, da Divisão de Educação e Reabilitação dos Distúrbios da Comunicação, da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.

Em Aracaju os meninos passam entre 45 minutos e uma hora e meia por dia com Loide, antes de ir para as classes de ouvintes. O Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil sustenta a inclusão de pessoas com deficiência auditiva nas atividades regulares como meio de favorecer o desenvolvimento de várias capacidades, como a sociabilidade. Para facilitar esse trabalho e torná-lo mais produtivo, Loide também auxilia as outras educadoras, ensinando-as a se comunicar com os garotos.

http://revistaescola.abril.com.br/inclusao/educacao-especial/sao-joao-traduzido-libras-424486.shtml

Rosângela Pinheiro



Escrito por Rosângela Moreira ou Pinheiro às 9h26 PM
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



Educação Inclusiva

Fantástico! Quem acredita sempre alcança..

http://www.youtube.com/watch?v=pf8nWojBtyM

Rosangela Pinheiro



Escrito por Rosângela Moreira ou Pinheiro às 9h17 PM
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



 
 

Inclusão

Um aluno chamado Matheus

Vamos conhecer a história de Matheus...Assista ao vídeo!

A história de sucesso da inclusão de um aluno autista numa turma regular de uma escola pública municipal de São Paulo. Webdocumentário produzido para a revista Nova Escola (www.ne.org.)br
Rosangela Pinheiro



Categoria: Informação
Escrito por Rosângela Moreira ou Pinheiro às 9h09 PM
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



 
 

Acessibilidade

Concebido para eliminar barreiras comuns que impedem o acesso de cegos e deficientes físicos às páginas da web, o site é uma iniciativa do Selur e foi desenvolvido pela Rede Saci

Pessoas com deficiência acessam o site do Selur durante o lançamento

O Sindicato das Empresas de Limpeza Urbana no Estado de São Paulo (Selur) lançou, no dia 29 de junho, no Parlatino em São Paulo, o site www.selursocial.org.br, que hospeda o Sistema Integrado de Vagas e Currículos para Pessoa com Deficiência (SIVC). A iniciativa do Selur, sindicato que representa 57 empresas que atuam na limpeza urbana, está amparada na experiência de inclusão social da Rede Saci (Solidariedade, Apoio, Comunicação e Informação para pessoas com deficiência).

O objetivo do site é ser uma ponte entre pessoas com deficiência que procuram um emprego e as empresas que buscam esses profissionais para fazer parte de suas equipes e assim cumprir as exigências da Lei de Cotas (8.213/91). O principal diferencial desta ferramenta é permitir que pessoas com deficiência possam navegar em suas páginas sem necessidade de ajuda de terceiros.

"O site será uma ferramenta gratuita para ser usada por empresas de qualquer setor da economia, em nível nacional, e acessível a pessoas com qualquer tipo de deficiência, seja física ou visual", afirma o presidente do Selur, Ariovaldo Caodaglio.

A idéia de criar o site surgiu em 2007 quando o Selur procurou a Rede Saci para uma discussão sobre a Lei de Cotas, que obriga as empresas com mais de 100 funcionários reservarem e ter em seus quadros um percentual de vagas para pessoas com deficiência. Assim como muitas companhias de segmentos econômicos, as associadas do Selur também encontram dificuldade para cumprir essa determinação, invariavelmente por não conseguir localizar esse tipo de profissional.

À medida que as conversas com a Rede Saci avançaram foi ganhando cada vez mais força a idéia de ter um site onde todas as empresas pudessem buscar pessoas com deficiência, ao mesmo tempo em que esse público tivesse condições de disponibilizar seus currículos de forma fácil e sem barreiras de acessibilidade. A idéia recebeu apoio da Superintendência Regional do Trabalho em São Paulo.

O site foi desenvolvido seguindo as recomendações de acessibilidade definidas pelo Consórcio Internacional da Internet W3C com isso ele democratiza o acesso de pessoas com qualquer tipo de deficiência. "Nosso site será o primeiro onde a acessibilidade é total, tanto para quem oferece vagas quanto para quem procura um emprego", complementa Caodaglio.

Entre os diferenciais de acessibilidade, o site não tem listas prontas para inclusão de dados nos campos da cidade e da profissão. Cada usuário digita suas opções, o que facilita muito o preenchimento dos campos por pessoas com dificuldade motoras ou deficiência visual.

"Para um cego que usa leitor de tela esta é uma mudança fundamental. Ele não precisa ouvir todas as cidades ou profissões cadastradas até chegar a sua opção, o que tornaria o preenchimento do cadastro extremamente cansativo", explica a especialista em acessibilidade e colaboradora da Rede Saci, Lucy Gruenwald.

Isto será possível porque a arquitetura do site previu recursos que não atrapalham o visual da página, mas facilitam a navegação por pessoas com algum tipo de limitação. O site também não usa recursos em flash, que não são percebidos pelo leitor de tela. Outra facilidade é que, uma vez preenchido o cadastro, o site arquiva os dados, permitindo atualizações futuras e até a impressão do currículo formatado.

Também foram tomados cuidados especiais em relação à linguagem utilizada e aos mecanismos de detecção de eventuais erros no preenchimento do cadastro no site. No caso da linguagem, a preocupação foi em usar termos e expressões de fácil compreensão para pessoas de diferentes classes sociais e níveis de escolaridade e, para que erros durante o preenchimento possam ser corrigidos de forma rápida, o site conta com sinalização e ferramentas para simplificar o ajuste.

Como a proposta é ser um instrumento de inclusão, o site não permite que a empresa selecione o candidato por tipo de deficiência ou faixa etária. "A busca não pode partir de um princípio discriminatório. Do contrário, já na seleção a empresa poderia eliminar muitos profissionais", explica a coordenadora da Rede Saci, Ana Maria Barbosa.

A cerimônia de lançamento do site contou com a presença do presidente do Selur, Ariovaldo Caodaglio; da coordenadora da Rede Saci, Ana Maria Barbosa; do presidente da Fundação de Rotarianos de São Paulo, Eduardo Pimentel; do secretário municipal de Deficiência e Mobilidade Reduzida de São Paulo, Marcos Belisário; da deputada Estadual Célia Leão; e da secretária estadual de Direitos da Pessoa com Deficiência, Linamara Rizzo Battistella.

Para cadastrar vagas de empregos ou currículos, acesse: www.selursocial.org.br.
http://sentidos.uol.com.br

Rosangela Moreira



Categoria: Informação
Escrito por Rosângela Moreira ou Pinheiro às 2h58 PM
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



 
 

Tecnologia Assistiva

Congresso de Tecnologia Assistiva no Rio de Janeiro

Vale Conferir!

O Instituto Muito Especial, com o apoio do Ministério da Ciência e Tecnologia, realizará o II Congresso Muito Especial de Tecnologia Assistiva e Inclusão Social das Pessoas com Deficiência do Rio de Janeiro. O evento acontecerá entre os dias 24 e 27 de agosto. O objetivo é promover o debate sobre os tipos de tecnologia assistiva existentes e as inovações da pesquisa científica na área.

Durante a programação do evento, haverá a apresentação de Painéis nos quais a comunidade científica poderá divulgar para o público o que vem sendo desenvolvido no meio acadêmico. Os pesquisadores interessados em inscrever trabalhos para os Painéis deverão enviar um resumo do projeto de pesquisa para o e-mail
tecnologiario@muitoespecial.com.br, de acordo com as instruções de envio.

Os trabalhos serão submetidos a uma comissão julgadora. Para cada Painel serão selecionados três projetos de pesquisa, que terão um tempo total de apresentação de 20 minutos.

O período de inscrição dos trabalhos vai até o dia 22 de julho. As inscrições são gratuitas.

Abaixo segue a listagem dos painéis com os temas e suas respectivas propostas:

- Softwares Assistivos – Inovação na Produção Acadêmica
Visa apresentar projetos inovadores da Tecnologia da Informação voltados para usuários com deficiência físicas, sensoriais ou intelectuais.

- Inclusão Profissional – Qualificação e Oportunidade
A proposta é apresentar projetos que envolvam soluções inovadoras sobre qualificação e oportunidades de trabalho para pessoas com deficiência.

- Tecnologias Assitivas
Visa apresentar projetos inovadores em qualquer área da tecnologia assistiva.

- Educação Inclusiva
Tem como proposta apresentar projetos voltados para a educação inclusiva.

Observações: Não serão aceitos projetos em desacordo com as instruções de inscrição. O Resumo dos trabalhos selecionados será publicado nos Anais do congresso.

Mais Informações:

Evento: II Congresso Muito Especial de Tecnologias Assistivas e Inclusão Social das Pessoas com Deficiência do Rio de Janeiro

Data: De 24 a 27 de agosto de 2009

Período de Inscrição dos trabalhos científicos: até 22 de julho de 2009

E-mail:
tecnologiario@muitoespecial.com.br

Telefone para informações: (21) 3239-1864

http://www.conexaoprofessor.rj.gov.br/agenda.asp

Rosangela Pinheiro



Categoria: Informação
Escrito por Rosângela Moreira ou Pinheiro às 7h29 AM
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



 
 

Curso-On line

ALFABETIZAÇÃO PARA CRIANÇAS COM DEFICIÊNCIA

ALFABETIZAÇÃO PARA CRIANÇAS COM DEFICIÊNCIA
CARGA HORÁRIA: 80 Horas
INVESTIMENTO: R$ 150,00
PAGAMENTO: A VISTA – CARTÃO DE CRÉDITO OU BOLETO BANCÁRIO
PARCELADO NO CARTÃO DE CRÉDITO
VEJA AS FACILIDADES DE PAGAR PELO PAG SEGURO COM SEU CARTÃO DE CRÉDITO.
SOBRE O CURSO ALFABETIZAÇÃO PARA CRIANÇAS COM DEFICIÊNCIA:
O curso Alfabetização de Crianças com Deficiência vem abordar um assunto de suma importância em sala de aula regular: a inclusão.
Ele traz ferramentas para que o educador trabalhe com alunos de inclusão em sala de aula regular; uma realidade que nós educadores convivemos em todos os sentidos.
Este curso tem por objetivo capacitar professores de forma a compreender as questões conceituais envolvidas no processo de desenvolvimento e alfabetização, possibilitando um espaço para revisão teórica e aprimoramento da prática. Procuramos mostrar que trabalhar com inclusão em sala de aula não é um bicho de sete cabeças e sim um trabalho extremamente gratificante onde todos ganham: educadores e alunos. É uma lição de vida.
Conteúdo do Curso
O Curso está dividido em 8 módulos, envolvendo os seguintes conteúdos:

MÓDULO 1
1 - A família, a perda e o luto: filho real X filho idealizado
2 - Compreendendo esta mãe
3 - Vivências: troca de experiências com Antônia (mãe de criança com necessidades especiais)

MÓDULO 2
1 - A escola X A família: a resistência, o medo e a insegurança
2 - O ambiente escolar: reação da comunidade escolar, os sentimentos do educador, o acolhimento da criança
3 - Vídeos

MÓDULO 3
1 - Quem ganha com a inclusão?
2 - Escola + família: sem esta parceria tudo fica mais difícil
3 - Princípios orientadores do trabalho
4 - Vídeos

MÓDULO 4
1 - Processo de alfabetização: fase de estimulação, fase de pré estimulação
2 - Vídeos

MÓDULO 5
1 - Fase de alfabetização
2 - Materiais utilizados para cada etapa
3 - Vivências nos processos educativos
4 - A elaboração de material didático
5 - Mostra de atividades e discussão
6 - Vídeos

MÓDULO 6
1 - Estrutura Curricular
2 - Planejamento
3 - A função da avaliação pedagógica permanente
4 - Vídeos

MÓDULO 7
1 - O desenvolvimento da competência comunicativa - comunicação suplementar e alternativa

MÓDULO 8
1 - A organização do tempo didático através de atividades permanentes, seqüenciais e projetos
2 - Socialização de experiências interdisciplinares: Língua Portuguesa, Artes, Ciências e Matemática
3 - Vivências nos processos educativos
4 - A elaboração de material didático
5 – Vídeos

PÚBLICO ALVO:
Curso dirigido à
Pedagogos, Psicopedagogos, Professores, Educadores, Psicólogos, Coordenadores Pedagógicos, Diretores de Escolas, Pais, Profissionais de Saúde, Estudantes de Pedagogia e Licenciaturas, Estagiários na área de Educação e demais interessados no tema.
Ninete Rocha é Neuroeducadora, Psicóloga e Coaching.
Ministra cursos e palestras em todo território nacional através do Projeto Educarsol, Educação e Solidariedade.
Começou sua carreira na área de Educação Especial na PMSP quando em 2002 recebeu sua primeira aluna de inclusão. Nesta época já era professora da rede publica desde 1982.
Atualmente, faz assessoria pedagógica em inclusão em escolas particulares.
Pesquisadora, em janeiro de 2005 esteve na aldeia Kamayurá na Reserva Indígena do Xingu elaborando uma pesquisa sobre a cultura e educação indígena. E em 2007 na Reserva Rikbaktsa conhecendo as escolas indígenas e os alunos indígenas com necessidades especiais.
FAÇA SUA INSCRIÇÃO

 



Categoria: Informação
Escrito por Rosângela Moreira ou Pinheiro às 1h46 AM
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]



 
 

Deficiências

Como tratar deficientes físicos corretamente

Os deficientes físicos não devem ser tratados de maneira diferente...Vamos observar como podemos fazer...

1. ERRADO: EVITAR FALAR COM OS DEFICIENTES SOBRE COISAS QUE UMA PESSOA NORMAL PODE FAZER E ELES NÃO.
CERTO: CONVERSAR NORMALMENTE COM OS DEFICIENTES, FALANDO SOBRE TODOS OS ASSUNTOS, POIS É BOM PARA ELES SABEREM MESMO DAS COISAS QUE NÃO PODEM OUVIR, VER OU PARTICIPAR POR CAUSA DA LIMITAÇÃO DE MOVIMENTOS.


2. ERRADO: ELOGIAR OU DEPRECIAR UMA PESSOA DEFICIENTE, SOMENTE POR ELA SER LIMITADA.
CERTO: TRATAR O DEFICIENTE COMO ALGUÉM COM LIMITAÇÕES ESPECÍFICAS DA DEFICIÊNCIA, PORÉM COM AS MESMAS QUALIDADES E DEFEITOS DE QUALQUER SER HUMANO


3. ERRADO: SUPERPROTEGER O DEFICIENTE, FAZENDO COISAS POR ELE.
CERTO: PERMITIR QUE O DEFICIENTE DESENVOLVA AO MÁXIMO SUAS POTENCIALIDADES, AJUDANDO-O APENAS QUANDO FOR REALMENTE NECESSÁRIO.


4. ERRADO: CHAMAR O DEFICIENTE PELO APELIDO RELATIVO À SUA DEFICIÊNCIA (EX.: SURDINHO, SURDO, MUDO, CEGO, MANETA ETC.), POIS ELE PODE SE OFENDER
CERTO: CHAMAR A PESSOA DEFICIENTE PELO NOME, COMO SE FAZ COM QUALQUER OUTRA PESSOA.


5. ERRADO:DIRIGIR-SE À PESSOA CEGA COMO SE ELA FOSSE SURDA, FAZENDO ESFORÇO PARA QUE ELA OUÇA MELHOR. O CEGO NÃO É SURDO.
CERTO: CONVERSAR COM O CEGO EM TOM DE VOZ NORMAL.


6. ERRADO: REFERIR-SE À DEFICIÊNCIA DA PESSOA COMO UMA DESGRAÇA, COMO ALGO QUE MEREÇA PIEDADE E VÁ SER COMPENSADO NO CÉU.
CERTO: FALAR DA DEFICIÊNCIA COMO UM PROBLEMA, ENTRE OUTROS, QUE APENAS LIMITA A VIDA EM CERTOS ASPECTOS ESPECÍFICOS.


7. ERRADO: DEMONSTRAR PENA DA PESSOA DEFICIENTE.
CERTO: TRATAR PESSOA DEFICIENTE COMO ALGUÉM CAPAZ DE PARTICIPAR DA VIDA EM TODOS OS SENTIDOS.


8. ERRADO: USAR ADJETIVOS COMO "MARAVILHOSO", "FANTÁSTICO" ETC., CADA VEZ QUE SE VÊ UMA PESSOA DEFICIENTE FAZENDO ALGO QUE APARENTEMENTE NÃO CONSEGUIRIA (POR EXEMPLO, VER O CEGO DISCAR O TELEFONE OU VER AS HORAS, VER UM SURDO FALAR E/OU COMPREENDER O QUE LHE FALAM).
CERTO: CONSCIENTIZAR-SE DE QUE A PESSOA DEFICIENTE DESENVOLVE ESTRATÉGIAS DIÁRIAS E SUPERANDO NORMALMENTE OS OBSTÁCULOS, E NÃO MOSTRAR ESPANTO DIANTE DE UM FATO QUE É COMUM PARA O DEFICIENTE.


9. ERRADO: REFERIR-SE ÀS HABILIDADES DE UM DEFICIENTE COMO "SEXTO SENTIDO" (NO CASO DO CEGO E SURDO, POR EXEMPLO) OU COMO UMA "COMPENSAÇÃO DA NATUREZA".
CERTO: ENCARAR COMO DECORRÊNCIA NORMAL DA DEFICIÊNCIA O DESENVOLVIMENTO DE HABILIDADES QUE POSSAM PARECER EXTRAORDINÁRIAS PARA UMA PESSOA COMUM.


10. ERRADO: EVITAR USAR AS PALAVRAS VER, OUVIR, ANDAR, ETC., DIANTE DE PESSOAS QUE SEJAM CEGAS, SURDAS OU PRIVADAS DE MOVIMENTOS.
CERTO: CONVERSAR NORMALMENTE COM OS DEFICIENTES, PARA QUE ELES NÃO SE SINTAM DIFERENCIADOS POR PERCEPTÍVEL CONSTRANGIMENTO NO FALAR DO INTERLOCUTOR.


11. ERRADO: DEIXAR DE OFERECER AJUDA A UMA PESSOA DEFICIENTE EM QUALQUER SITUAÇÃO (POR EXEMPLO, CEGO ATRAVESSANDO A RUA, PESSOA DE MULETA SUBINDO NO ÔNIBUS ETC.), MESMO QUE ÀS VEZES O DEFICIENTE RESPONDA MAL, INTERPRETANDO ISTO COMO GESTO DE PIEDADE. A MAIORIA DOS DEFICIENTES NECESSITA DE AJUDA EM DIVERSAS SITUAÇÕES.
CERTO: AJUDAR O DEFICIENTE SEMPRE QUE FOR REALMENTE NECESSÁRIO, SEM GENERALIZAR QUAISQUER EXPERIÊNCIAS DESAGRADÁVEIS, ATRIBUINDO-AS SOMENTE A PESSOAS DEFICIENTES, POIS PODEM ACONTECER TAMBÉM COM AS PESSOAS NORMAIS.


12. ERRADO: SUPERVALORIZAR O DEFICIENTE, ACHANDO QUE ELE PODE RESOLVER QUALQUER PROBLEMA SOZINHO (POR EXEMPLO, O CEGO ALCANÇAR QUALQUER PORTA APENAS CONTANDO OS PASSOS, SEM QUE ALGUÉM INDIQUE A DIREÇÃO).
CERTO: CONSCIENTIZAR-SE DE QUE AS LIMITAÇÕES DE UM DEFICIENTE SÃO REAIS, E MUITAS VEZES ELE PRECISA DE AUXÍLIO.


13. ERRADO: RECUSAR A AJUDA OFERECIDA POR UMA PESSOA DEFICIENTE, EM QUALQUER SITUAÇÃO OU TAREFA, POR ACREDITAR QUE NÃO SEJA CAPAZ DE REALIZÁ-LA.
CERTO: CONFIAR NA PESSOA DEFICIENTE, ACREDITANDO QUE ELA SÓ LHE OFERECERÁ AJUDA SE ESTIVER SEGURA DE PODER FAZER AQUILO A QUE SE PROPÕE. O DEFICIENTE CONHECE MELHOR DO QUE NINGUÉM SUAS LIMITAÇÕES E CAPACIDADES.


14. ERRADO: AO FALAR, PRINCIPALMENTE COM O CEGO, DIRIGIR-SE AO ACOMPANHANTE DO DEFICIENTE, E NÃO AO DEFICIENTE, COMO SE ELE FOSSE INCAPAZ DE PENSAR, DIZER E AGIR POR SI.
CERTO: DIRIGIR-SE SEMPRE AO PRÓPRIO DEFICIENTE, QUANDO O ASSUNTO REFERIR-SE A ELE, MESMO QUE ESTEJA ACOMPANHADO.


15. ERRADO: AGARRAR A PESSOA CEGA PELO BRAÇO PARA GUIÁ-LA, POIS ELA PERDE A ORIENTAÇÃO.
CERTO: DEIXAR QUE O CEGO SEGURE NO BRAÇO OU APOIE A MÃO NO OMBRO DE QUEM O GUIA.


16. ERRADO: AGARRAR PELO BRAÇO PESSOAS COM MULETAS, OU SEGURAR ABRUPTAMENTE UMA CADEIRA DE RODAS, AO VER O DEFICIENTE DIANTE UMA POSSÍVEL DIFICULDADE.
CERTO: AO VER O DEFICIENTE DIANTE DE UM POSSÍVEL OBSTÁCULO, PERGUNTAR SE ELE PRECISA DE AJUDA, E QUAL A MANEIRA CORRETA DE AJUDÁ-LO. AGARRAR UM APARELHO ORTOPÉDICO OU UMA CADEIRA DE RODAS, REPENTINAMENTE, É UMA ATITUDE AGRESSIVA, COMO AGARRAR QUALQUER PARTE DO CORPO DE UMA PESSOA COMUM SEM AVISO.


17. ERRADO: SEGURAR O DEFICIENTE, NA TENTATIVA DE AJUDÁ-LO, QUANDO JÁ HOUVER UMA PESSOA ORIENTANDO-O, PRINCIPALMENTE NO CASO DO CEGO.
CERTO: QUANDO HOUVER NECESSIDADE AJUDA OU ORIENTAÇÃO, APENAS UMA PESSOA DEVE TOCAR O DEFICIENTE, A NÃO SER EM SITUAÇÕES MUITO ESPECÍFICAS, QUE PEÇAM MAIS AJUDA (POR EXEMPLO, CARREGAR UMA CADEIRA DE RODAS PARA SUBIR UMA ESCADA).


18. ERRADO: CARREGAR O DEFICIENTE, PRINCIPALMENTE O CEGO, AJUDÁ-LO A ATRAVESSAR A RUA, TOMAR CONDUÇÃO, SUBIR OU DESCER ESCADAS.
CERTO: AUXILIAR O DEFICIENTE NESTAS SITUAÇÕES APENAS ATÉ O PONTO EM QUE REALMENTE SEJA NECESSÁRIO, PARA EVITAR ATRAPALHÁ-LO MAIS.


19. ERRADO: PEGAR A PESSOA CEGA PELO BRAÇO PARA COLOCÁ-LA NA POSIÇÃO NA POSIÇÃO CORRETA DE SENTAR NUMA CADEIRA.
CERTO: COLOCAR A MÃO DO CEGO SOBRE O ESPALDAR DA CADEIRA E DEIXAR QUE ELE SE SENTE COMO ACHAR MELHOR.


20. ERRADO: GUIAR A PESSOA CEGA EM DIAGONAL QUANDO ATRAVESSAR A RUA.
CERTO: ATRAVESSAR O CEGO SEMPRE EM LINHA RETA, PARA QUE NÃO PERCA A ORIENTAÇÃO.


21. ERRADO: TRATAR O DEFICIENTE COM CONSTRANGIMENTO, EVITANDO FALAR SOBRE SUA DEFICIÊNCIA.
CERTO: CONVERSAR NATURALMENTE COM O DEFICIENTE SOBRE SUA DEFICIÊNCIA, EVITANDO PORÉM PERGUNTAS EM EXCESSO. NA MAIORIA DOS CASOS, ELE PREFERIRÁ FALAR NORMALMENTE SOBRE AQUILO QUE É APENAS PARTE DE SUA VIDA, E NÃO UMA COISA ANORMAL OU EXTRAORDINÁRIA, COMO POSSA PARECER AO INTERLOCUTOR.


22. ERRADO: LEVAR O CEGO A QUALQUER LUGAR ONDE HAJA MAIS PESSOAS E ENTRAR COMO SE ELE PUDESSE VER QUEM ESTÁ NO RECINTO.
CERTO: APRESENTAR O CEGO A TODAS AS PESSOAS QUE ESTEJAM NUM LOCAL ONDE ELE É LEVADO POR OUTRA PESSOA VIDENTE.


23. ERRADO: AO RECEBER UM CEGO EM SUA CASA, DEIXÁ-LO ORIENTAR-SE SOZINHO.
CERTO: AO RECEBER UM CEGO EM SUA CASA, MOSTRE-LHE TODAS AS DEPENDÊNCIAS E OS POSSÍVEIS OBSTÁCULOS, E DEIXE QUE ELE SE ORIENTE, COLOCANDO-SE DISPONÍVEL PARA MOSTRAR-LHE NOVAMENTE ALGUMA DEPENDÊNCIA, CASO ELE ACHE NECESSÁRIO.


24. ERRADO:CONSTRANGER-SE EM AVISAR O CEGO DE QUE ELE ESTÁ COM ALGUMA COISA ERRADA NA SUA VESTIMENTA OU APARÊNCIA FÍSICA, OU QUE ESTÁ FAZENDO MOVIMENTOS NÃO USUAIS, COMO BALANÇAR-SE OU MANTER A CABEÇA BAIXA DURANTE UMA CONVERSA.
CERTO: CONSCIENTIZAR-SE DE QUE O CEGO, POR NÃO ENXERGAR, NÃO SEGUE O PADRÃO DE IMITAÇÃO VISUAL, NÃO PODENDO, PORTANTO, SEGUIR O COMPORTAMENTO APARENTE DAS PESSOAS VIDENTES. AVISAR O CEGO SEMPRE QUE PERCEBER QUE ELE ESTÁ COM APARÊNCIA OU COMPORTAMENTO FORA DO PADRÃO SOCIAL NORMAL, EVITANDO QUE ELE CAIA NO RIDÍCULO.


25. ERRADO: AVANÇAR SUBITAMENTE SOBRE A PESSOA DEFICIENTE POR ACHAR QUE ELA NÃO VAI CONSEGUIR REALIZAR UMA TAREFA (POR EXEMPLO, QUANDO O CEGO ESTÁ LEVANDO O GARFO À BOCA), SE O DEFICIENTE NÃO SOLICITAR AJUDA.
CERTO: PERMITIR QUE O DEFICIENTE REALIZE SOZINHO SUAS TAREFAS, MESMO QUANDO LHE PAREÇA IMPOSSÍVEL. SÓ SE DEVE SOCORRÊ-LO EM CASO DE PERIGO.


26. ERRADO: AGARRAR A PESSOA CEGA COM INTUITO DE ORIENTÁ-LA QUANDO ELA ESTÁ CAMINHANDO NORMALMENTE NA RUA.
CERTO: DEIXAR QUE O CEGO APRENDA POR SI SÓ A TRANSPOR OS OBSTÁCULOS DA RUA, POIS ELE É CAPAZ DE FAZÊ-LO SOZINHO. SEGURAR SEU BRAÇO, EXCETO NO SINAL OU DIANTE DE ALGUM PERIGO REAL, NA VERDADE O DESORIENTA.

27. ERRADO: CHAMAR A ATENÇÃO PARA O APARELHO DE SURDEZ.
CERTO: ESTIMULAR O USO DO APARELHO, ENCARANDO-O COM A MESMA NATURALIDADE COM QUE SÃO VISTOS OS ÓCULOS.


28. ERRADO: GRITAR DE LONGE E/OU ÀS COSTAS DE UMA PESSOA SURDA PARA CHAMÁ-LA.
CERTO: PARA CHAMAR A ATENÇÃO DE UMA PESSOA SURDA QUE ESTEJA DE COSTAS, DEVE-SE TOCÁ-LA, DE LEVE, NO BRAÇO, ANTES DE COMEÇAR A FALAR COM ELA.


29. ERRADO: GRITAR PARA CHAMAR A ATENÇÃO DE UMA PESSOA SURDA QUE ESTEJA EM PERIGO
CERTO: PROCURAR CHEGAR ATÉ ELA O MAIS RAPIDAMENTE POSSÍVEL, PROCURANDO AJUDÁ-LA. LEMBRAR QUE UMA PESSOA QUE ATRAVESSA A RUA PODERÁ SER SURDA, PODENDO, POR ISSO, NÃO OUVIR A BUZINA DE SEU CARRO
.

PORTAL DO ESPÍRITO

http://www.deficientesolidario.com.br

Rosângela Pinheiro



Categoria: Informação
Escrito por Rosângela Moreira ou Pinheiro às 11h23 PM
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]




[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]